Tamanho do texto

Dose fracionada será administrada em 15 municípios do estado, incluindo a capital carioca; neste ano, 112 pessoas tiveram a doença no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro realiza o segundo Dia D de vacinação contra febre amarela e quer vacinar 500 mil pessoas
Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil
Rio de Janeiro realiza o segundo Dia D de vacinação contra febre amarela e quer vacinar 500 mil pessoas

Mais de 90 municípios do Rio de Janeiro estão promovendo a campanha de vacinação contra a febre amarela neste sábado (3), conhecido como Dia D. É esperado que as unidades  imunizem 500 mil pessoas em todo o estado.

Leia também: Casos de febre amarela no país aumentam 25,5%, segundo Ministério da Saúde

No entanto, o subsecretário de Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, afirmou que os postos de saúde, hospitais, tendas especiais e quartéis que participam do Dia D contra febre amarela estão preparados para vacinar até 1 milhão de pessoas.

“O estado do Rio de Janeiro já tem uma cobertura de 72% [do público-alvo]. Em alguns locais, a gente está com a cobertura bem elevada, principalmente no interior do estado, e [nesses lugares] a procura certamente vai ser menor porque faltam poucas pessoas para serem vacinadas. Nosso grande desafio, em termos de cobertura vacinal, é aqui na região metropolitana”, declarou Chieppe.

Na cidade do Rio de Janeiro, 230 unidades de saúde participam da campanha. A expectativa é vacinar 200 mil pessoas hoje. De acordo com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, cerca de 1 milhão de pessoas do público-alvo (entre 9 meses e 59 anos) ainda não foram vacinadas na capital.

"A grande vantagem da nossa cidade é que hoje não temos um só caso de febre amarela aqui. E olha que a cidade do Rio de Janeiro tem a maior floresta urbana. Mas nossos postos estarão trabalhando para a gente poder vacinar toda a população e, durante alguns anos, ficarmos completamente livres da doença", disse.

Leia também: Rio de Janeiro confirma 100º caso de febre amarela e 45º morte pela doença

José Ribeiro Silva, de 70 anos, levou a neta Stefany, de 9 anos, para se vacinar numa clínica da família em Benfica, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. "A gente esperou uma campanha porque, se vem no posto, às vezes tem, às vezes não tem vacina. E a situação piorou aqui no estado também. Já são mais de 50 mortes. Ainda não tem caso na cidade do Rio, mas o mosquito viaja, né?", disse.

Vacina

Como na região metropolitana a busca deve ser maior, em 15 municípios da Grande Rio, inclusive a capital, será aplicada a dose fracionada da vacina. A dose fracionada será adotada em Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti e Seropédica.

Nos demais municípios do estado, serão adminsitradas doses padrão da vacina. Mesmo nos 15 municípios onde será dada a dose fracionada, crianças com até dois anos, pessoas com condições clínicas especiais (vivendo com HIV/aids, ao final do tratamento de quimioterapia, pacientes com doenças hematológicas, entre outras), gestantes e viajantes internacionais (que comprovem a viagem no ato da vacinação) receberão a dose padrão.

Segundo boletim da Secretaria de Saúde divulgado na sexta-feira (2), este ano foram registrados 112 casos de febre amarela silvestre em humanos em todo o estado do Rio de Janeiro. No total, 51 pessoas morreram. Angra dos Reis, com 12 mortes e 21 casos, registra o maior número de ocorrências.

Leia também: Campanha de vacinação contra febre amarela poderá ser ampliada para todo o país 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.