Tamanho do texto

Semana Nacional do Combate ao Aedes aegypti começa nesse domingo (25) com visitas domiciliares e rodas de conversa educativas entre a comunidade

Ações de combate ao Aedes aegypti começam nesse domingo (25)
Divulgação/ Venilton Kuchler
Ações de combate ao Aedes aegypti começam nesse domingo (25)

Começa no próximo domingo (25) a Semana Nacional de Combate ao mosquito Aedes aegypti , que acontecerá até o dia 30 de novembro, o chamado “dia D” de combate ao mosquito. Durante a ação, todos os municípios do País promoverão diversas ações contra o transmissor do vírus da dengue, como visitas domiciliares, mutirões de limpeza e distribuição de materiais informativos e educativos.

Leia também: Vacina da dengue é contraindicado para quem nunca teve contato com o vírus

Além disso, também são planejados murais, rodas de conversa com a comunidade, oficinas, teatros e gincanas. A Sala Nacional de Coordenação e Controle (SNCC) já orientou os municípios para que sejam promovidas atividades que realcem a importância da prevenção contra o Aedes aegypti , transmissor da dengue, zika e chikungunya.

De acordo com o Ministério da Saúde, a mobilização acontecerá com um total de 210 mil unidades das redes pública e privada, sendo 146 mil da rede básica, 11 mil Centros de Assistência Social (CAS) e 53 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O objetivo da ação é mostrar como a união do governo e da população contra o Aedes é a melhor forma de combate ao mosquito, principalmente em período de epidemia ,que acontece entre os meses de novembro e maio.

Leia também: Dengue pode ser transmitida por meio de relações sexuais, aponta estudo

O calor e as chuvas características da época fornecem ao mosquito as condições ideias para sua proliferação e, por isso, o verão é o período que exige uma atenção especial e intensificação das ações na comunidade e de visitas domiciliares.

De acordo com Divino Martins, coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde , “no caso da população, além dos cuidados, como não deixar água parada nos vasos de plantas, é possível verificar melhor as residências, apoiando o trabalho dos agentes de endemias. Esses profissionais utilizam técnicas simples e diferenciadas para vistoriar as casas, apartamentos e espaços abertos”.

Entre janeiro e novembro deste ano, foi registrada redução de casos tanto de dengue , quanto de zika e chikungunya, em comparação com o mesmo período em 2017, de acordo com dados nacionais. No entanto, alguns estados tiveram o resultado contrário e apresentaram expressivo aumento dos casos.

Leia também: Aedes aegypti transgênico poderá ser comercializado para combater a dengue

 Segundo o ministério, a esperança é que a Semana Nacional de Combate ao mosquito Aedes aegypti  possa ajudar a evitar os surtos e epidemias das três doenças durante o verão.

*Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.