Tamanho do texto

Começa nesta segunda-feira (7) o prazo para os profissionais registrados no Brasil começarem as atividades nos municípios escolhidos na segunda chamada do programa Mais Médicos; prazo vai até quinta-feira (10)

Inscritos no Mais Médicos têm a partir desta segunda-feira (7) para comparecer nos municípios escolhidos
Divulgação/ Ministério da Saúde
Inscritos no Mais Médicos têm a partir desta segunda-feira (7) para comparecer nos municípios escolhidos

Começa nesta segunda-feira (7) o prazo para que os profissionais com registro no Brasil que se inscreveram na segunda chamada do programa Mais Médicos se apresentem nos municípios escolhidos. Segundo o Ministério da Saúde, os médicos registrados no Conselho Regional de Medicina (CRM) terão até esta quinta-feira (10) para preencher as vagas remanescentes.

Leia também: Com 200 desistências, Ministério da Saúde abre novo edital do Mais Médicos

Para os médicos que desistirem de comparecer nos locais indicados e iniciar as atividades junto aos gestores, o indicado é que seja informado ao município escolhido, que ficará encarregado de comunicar a desistência ao governo federal. Essas vagas não preenchidas serão colocadas novamente no edital do programa Mais Médicos .

A previsão do Ministério da Saúde é de que até a próxima segunda-feira (14) seja divulgada a lista de médicos que preencheram as vagas remanescentes nesta segunda chamada.

Mais Médicos

Novo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fala sobre Mais Médicos em cerimônia de transmissão de cargo, junto com o ex-ministro Gilberto Occhi
Reprodução/ Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Novo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fala sobre Mais Médicos em cerimônia de transmissão de cargo, junto com o ex-ministro Gilberto Occhi

O programa foi criado em 2013, durante o governo de Dilma Rousseff, com o objetivo de ampliar a assistência em regiões com carência de profissionais. Desde novembro, novos editais vêm sendo lançados com o objetivo de substituir os 8.517 cubanos que atuavam em 2.824 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas (DSEI).

Leia também: Cubanos que deixaram Brasil após ruptura com Mais Médicos podem ir para o México

De início as vagas foram abertas somente aos médicos brasileiros com registro no país, porém, nos últimos dias 3 e 4, os médicos formados no exterior puderem selecionar as vagas que ainda não haviam sido preenchidas.

Na última quarta-feira (2), o médico Luiz Henrique Mandetta assumiu o Ministério da Saúde e alegou que pretende reformar o programa, devido à escassez de profissionais para preencher o total de vagas. Segundo o novo ministro, O Brasil tem aproximadamente 320 faculdades de medicina e 26 mil médicos graduados em 2018, com previsão de aumento deste número em 10% ao ano até chegar a 35 mil profissionais formados.

Leia também: Bolsonaro descarta criação de exame de avaliação de médicos formados no Brasil

“Quem forma essa quantidade toda de profissionais? Muitos deles endividados pelo Fies [Fundo de Financiamento Estudantil] e muitos formados em escola pública. Não temos uma proposta ou política de indução para que eles venham para o sistema público de saúde”, afirmou Mandetta sobre o programa Mais Médicos .

*Com informações da Agência Brasil.