Tamanho do texto

Suspeita anterior, que era de rubéola, foi descarta; para evitar surto, 9 mil pessoas que entraram na enbarcação serão imunizadas na Baixada Santista

9 mil pessoas serão imunizadas contra o sarampo após diagnósticos em navio cruzeiro
Marcelo Camargo/ABr
9 mil pessoas serão imunizadas contra o sarampo após diagnósticos em navio cruzeiro

Cerca de nove mil passageiros e tripulantes do navio MSC Seaview recebem imunização hoje (20) contra o sarampo, no Porto de Santos (SP), após tripulantes terem contraído a doença. Exames realizados pelo Instituto Adolfo Lutz confirmaram que seis funcionários do transatlântico foram infectados.

Leia também: Fake news das antigas, movimento antivacina segue com força nas redes sociais

A prefeitura de Santos e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviam hoje 110 profissionais para aplicar as vacinas de sarampo , não apenas nos passageiros que desembarcam, que somam 4,5 mil pessoas, mas também entre aqueles que ingressam na embarcação: 4,5 mil pessoas.

O navio atracou em Santos no último sábado (15)  com 13 suspeitas de rubéola entre os tripulantes. Após vistoria da Anvisa, o transatlântico seguiu para Santa Catarina com esses funcionários em local isolado dentro da embarcação.

Segundo a MSC, os tripulantes relataram à equipe do centro médico do navio sobre os sintomas que poderiam indicar possíveis casos de rubéola. Por isso, eles foram isolados em suas cabines e “permaneceram recebendo todo o atendimento médico necessário”.

O resultado dos exames feitos pelo Instituto Adolfo Lutz, entretanto, descartou a infecção por rubéola. Na chegada à cidade catarinense, 1,3 mil tripulantes foram imunizados.

Segundo a MSC, os hóspedes foram alertados sobre os sintomas da doença e um centro médico no navio ficou à disposição gratuitamente. Os tripulantes ficaram isolados em suas cabines e receberam todo o atendimento médico necessário, informou a companhia.

De acordo com o Ministério da Saúde, o sarampo é uma doença grave, transmitida por vírus, e extremamente contagiosa. A transmissão ocorre pela fala, tosse e espirro.

Leia também: Saúde libera R$ 4 milhões em recursos para vítimas da tragédia de Brumadinho

As complicações infecciosas provocadas pela doença são especialmente perigosas em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo.

A vacina de sarampo , disponibilizada na rede pública de saúde, deve ser aplicada em uma dose aos 12 meses de idade e outra aos 15 meses. Pessoas de cinco a 29 anos recebem duas doses da vacina. Quem tem mais de 30 anos receberá uma dose.

*Com informações da Agência Brasil