Síndrome de burnout foi incluída no capítulo de
shutterstock
Síndrome de burnout foi incluída no capítulo de "problemas associados" ao emprego e desemprego

A Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o esgotamento profissional, conhecido como síndrome de burnout, na Classificação Internacional de Doenças. A lista é baseada em conclusões de especialistas do mundo inteiro e tem como objetivo estabelecer tendências e estatísticas de saúde.

Leia também: Ministério da Saúde abre inscrições para o Mais Médicos

“É a primeira vez que o esgotamento profissional entra para a classificação”, anunciou Tarik Jasarevic, porta-voz da OMS. A inclusão foi aprovada durante a 72ª Assembleia Mundial da OMS, que reúne os Estados membros da organização desde o último dia 20, em Genebra.

A síndrome de burnout foi incluída no capítulo de “problemas associados” especificamente ao emprego e ao desemprego e foi descrito como “uma síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito”.  Segundo a OMS, os sintomas que acompanham a doença são: sensação de esgotamento, eficácia profissional reduzida e cinismo ou sentimentos negativos relacionados ao trabalho.

Leia também: Uso excessivo de remédios pode matar 10 milhões ao ano até 2050, aponta ONU

A Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID-11) - documento em que o esgotamento profissional foi integrado - recebeu novos capítulos e deve entrar em vigor no dia 1 de janeiro de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários