Tamanho do texto

Segundo o Ministério da Saúde, o reforço no Mais Médicos beneficiará mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil

Agência Brasil

Médicos em frente a hospital
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Ministério da Saúde deu preferência a profissionais que atendam na atenção básica

A partir desta segunda-feira (24), mais de mil municípios, localizados em todo o país, além de dez Distritos Sanitários Especiais Indígenas, começarão a receber 1.975 profissionais selecionados para o Mais Médicos, durante o 18º ciclo do programa.

Leia também: Rio está sem inseticida para combater dengue, chikungunya e zika

Segundo o Ministério da Saúde, o reforço no Mais Médicos beneficiará mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil. Algumas delas com histórica dificuldade de acesso, caso de localidades ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas.

Os profissionais selecionados terão até o dia 28 de junho para comparecer aos municípios e iniciar as atividades nas unidades de saúde .

Nesta primeira fase do 18º ciclo do programa, foram priorizados profissionais “formados e habilitados com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM)”, preferencialmente “com perfil de atendimento para a Atenção Primária”.

Leia também: Ministério da Saúde admite legitimidade do uso do termo "violência obstétrica"

Para realizar a seleção desta fase do Mais Médicos , o Ministério da Saúde estabeleceu “critérios de classificação, como títulos de Especialista e/ou Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade”.