Tamanho do texto

Vítima faleceu no Hospital Público Santo Antônio. Família acusa equipe médica de negligência

Uma mulher grávida faleceu no último sábado, no banheiro do Hospital Público Santo Antônio, no bairro da Penha. De acordo com reportagem divulgada pela Record TV, a vítima, Tatiane da Silva, faria o parto na última quarta-feira (11), mas passou mal. 

mulher grávida em cama de hospital arrow-options
Reprodução/TV Record
Grávida,Tatiane da Silva daria à luz na última quarta-feira

Leia mais: Quando é necessário fazer cesariana? 

Segundo a família de Tatiane, o hospital foi negligente. A principal acusação é a de que a equipe médica recusou uma cesariana, mesmo após solicitações da gestante , cuja gravidez já contava com mais de 40 semanas. A espera pelas condições ideias do parto natural, porém, teria causado sua morte. 

Ainda de acordo com a emissora de TV, as enfermeiras aconselharam que ela tomasse um banho para aliviar o desconforto, mas a mulher morreu no banheiro do hospital. A cesariana foi feita às pressas e o bebê encaminhado para a UTI neonatal do hospital. 

Leia mais: Alesp aprova projeto que permite que mães optem por cesárea no SUS

No mês passado, foi aprovado em São Paulo o Projeto de Lei que permite que gestantes a partir da 39º semana de gravidez escolham a cesárea no SUS. Apesar disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma recomendar a modalidade apenas “quando medicamente necessárias ”.

A Beneficência Portuguesa de São Paulo, responsável pela administração do Hospital Santo Antônio, afirmou em nota que "lamenta profundamente o ocorrido e esclarece que já fez contato com a família da senhora Tatiane Lourenço da Silva, respeitando as diretrizes legais, para disponibilizar o prontuário médico (documento que registra todas as informações sobre a assistência prestada a paciente). No entanto, em respeito à ética e ao sigilo médico, a instituição não comenta publicamente qualquer caso envolvendo clientes de seus serviços de saúde".