De acordo com a assessoria de imprensa do apresentador Gugu Liberato, cuja morte encefálica foi confirmada na última sexta-feira após um grave acidente, a doação de órgãos foi autorizada pela família em respeito ao desejo do próprio apresentador. Isso inclui, além dos órgãos internos, tecidos como córnea, pele e ossos. 

Leia mais: Família dá detalhes do momento do acidente de Gugu Liberato

gugu
Divulgação
Gugu Liberato autorizou doação de órgãos

“Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos. Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partido nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente”, diz a nota emitida neste sábado pela assessoria. 

Leia mais: William Bonner se emociona ao notificar morte de Gugu no Jornal Nacional

Segundo a equipe médica do hospital em que Gugu foi socorrido, o Orlando Health Medical Center, nos Estados Unidos, a atitude do apresentador é louvável e pode beneficiar até 50 pessoas que que aguardam na fila. Um dos fatores que amplia esse número em comparação ao Brasil, é o fato de que, nos EUA, há tecnologias que facilitam o transporte e aproveitamento de partes do corpo que ainda não são transplantadas no Brasil.

Outro ponto importante é que a doação total de órgãos nem sempre é possível, considerando a causa da morte e eventuais danos que o corpo do paciente possa ter sofrido. Por isso, a situação é relativamente rara e depende da análise dos próprios médicos que determinam quais doações podem ser feitas, apesar de o desejo e autorização da família ser o ponto de partida para esse estudo. 

Ainda não há uma confirmação oficial sobre o processo pelo qual os órgãos do apresentador devem passar agora, nos Estados Unidos, ou sobre o traslado do corpo para o Brasil.  

Como ser um doador de órgãos no Brasil 

De acordo com o Ministério da Saúde, para ser um doador basta conversar com sua família a respeito e deixar claro que eles devem autorizar a doação de órgãos e respeitar o seu desejo. 

Também existem os doadores vivos, que pode ser qualquer pessoa que concorde com o processo, desde que isso não prejudique a sua saúde . O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea ou parte do pulmão. Pela lei, parentes até o quarto grau e cônjuges podem ser doadores. Não parentes, só com autorização judicial.

    Veja Também

      Mostrar mais