Chega o verão e a praia ganha aquele cheirinho conhecido de protetor solar. Porém, se os brasileiros costumam cuidar da pele nos dias de sol, não são tantos assim que têm cuidado com os olhos. E pior: segundo um levantamento da Abiótica (Associação Brasileira da Indústria Óptica), 4 em cada 10 pessoas que usam óculos de sol, optam pelos falsificados. 

Leia mais: Como passar o verão inteiro livre de micose?

A estimativa é de que a validade de filtros UV dos óculos dure dois anos%2C a depender da exposição e radiação
shutterstock
A estimativa é de que a validade de um filtro UV dure dois anos, a depender da exposição e radiação

De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, testes em laboratórios ópticos comprovam que até mesmo os óculos de sol originais, que possuem filtro UV , se desgastam com o tempo. Geralmente, a duração da proteção de um óculos normal é de dois anos, mas pode ser menos a depender da exposição e radiação. Ou seja, para quem trabalha ao ar livre, a recomendação é trocar de óculos todo ano. Todos esses dados se perdem quando se fala em produto falsificado, que pode não oferecer proteção alguma. 

Ainda que o ideal seja proteger os olhos durante todo o ano, no verão as pessoas devem ficar mais atentas, já que nessa época a radiação atinge níveis extremos. É nesse período também que muita gente compra óculos de sol na praia mesmo, com camelôs ou em feirinhas locais.

Sobre isso, Queiroz Neto ressalta que participou de um painel do INMETRO, responsável por analisar seis diferentes marcas de óculos e  também óculos sem procedência. A análise apontou que todas as marcas estavam em conformidade com a proteção das lentes. Enquanto isso, a análise das lentes sem procedência não indicou a proteção de 100% do UV.

Doenças oculares causadas pelo sol

A catarata é uma das doenças que pode ser causada pela radiação ultravioleta
shutterstock
A catarata é uma das doenças que pode ser causada pela radiação ultravioleta


E não usar óculos de sol ou optar por um sem qualidade pode te trazer sérios riscos. Os principais problemas causados pela radiação UV (ultravioleta) não aparecem de imediato. Segundo Queiroz Neto, o sol tem um efeito cumulativo sobre os olhos e pode ocasionar, principalmente, as seguintes doenças:

  • Catarata

A falta de proteção ou o uso de uma lente escura sem filtro permitem que uma maior quantidade de radiação UV penetre no globo ocular, aumentando em até 60% o risco de contrair catarata . Essa doença é responsável por deixar o cristalino do olho opaco, reduzindo a entrada de luz no globo ocular. Por conta disso, a pessoa começa a enxergar embaçado. O único tratamento para catarata é a cirurgia que substitui o cristalino opaco do olho por uma lente intraocular. 

  • Pterígio

O pterígio é muito confundido com a catarata, mas é bem diferente dela. Ele se caracteriza por um espessamento leitoso da conjuntiva, membrana incolor que cobre a parte branca do globo ocular e a superfície interna das pálpebras. A doença é uma reação de defesa contra o ressecamento gerado pela radiação UV, que surge no canto do olho e cresce em direção à córnea. Portanto, é uma alteração externa, ao contrário da catarata, que é interna. O pterígio pode ser tratado com pomadas anti-inflamatórias, mas quando começa a atrapalhar a visão, deve ser retirado, através de uma intervenção cirúrgica ambulatorial.

  • Degeneração macular

A degeneração macular é a perda irreversível da visão central, que é mais normalmente associada ao envelhecimento. Nela,  o centro do campo visual é afetado e as imagens ficam desfocadas, distorcidas ou escuras. Infelizmente, a doença não tem cura, apesar de que muitos tratamentos a controlam bem. Queiroz Neto afirma: “Nossos olhos podem ser comparados a uma máquina fotográfica. A oftalmologia ainda não troca o filme dessa máquina que corresponde à retina”. 

Leia mais: Mais de 4 mil casos de câncer de pele foram diagnosticados em dezembro

Cuidado com as crianças

A OMS (Organização Mundial de Saúde) não recomenda que crianças usem muito o óculos de sol
shutterstock
A OMS (Organização Mundial de Saúde) não recomenda que crianças usem muito o óculos de sol


Os pequenos também merecem atenção. Segundo Leôncio, os efeitos da radiação ultravioleta começam desde a infância, pois as crianças passam muito mais tempo ao ar livre do que os pais. Além disso, até os 10 anos, o cristalino é completamente transparente e permite que 75% da radiação penetre na retina. Mas apesar de os adultos precisarem usar bastante os óculos de sol, no caso das crianças, não dá para exagerar. 

A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que crianças usem lentes com filtro apenas quando a radiação ultrapassar o índice de seis. Isso ocorre porque é nessa idade que a visão é moldada, com o estímulo visual de cores, formas e brilho.

Como é difícil saber qual o índice de radiação, uma boa dica são as viseiras, bonés ou chapéus, que podem filtrar até 50% da radiação UV. Além disso, a velha "dica de vó" também é válida para os pequenos: se expor ao sol apenas durante 30 minutos, em algum horário antes das 10 da manhã.

Como escolher o óculos de sol ideal?

Para surfistas ou praticantes de esportes aquáticos%2C a dica é utilizar lentes da cor rosa ou púrpura
shutterstock
Para surfistas ou praticantes de esportes aquáticos, a dica é utilizar lentes da cor rosa ou púrpura


Uma boa maneira de saber se os óculos de sol tem boa procedência é checar se eles têm um código de certificação de qualidade, que pode ser encontrado na embalagem, garantia ou hastes. O código do Brasil é  NBR ISO 15111, o da Europa EN 1836:2005 e o dos Estados Unidos é ANSI Z87.1-2003, por exemplo. 

Queiroz Neto recomenda dar preferência para os óculos maiores, que protegem a pele ao redor dos olhos, evitando manchas e câncer de pele nas pálpebras. Modelos fechados nas laterais também ajudam, pois por essas regiões também passa radiação. Embora a cor da lente não influencie na proteção UV, ela interfere na quantidade de luz que chega aos olhos, sem alterar a visibilidade. 

Por isso, para o dia a dia, o indicado são as lentes âmbar ou marrom, que permitem boa visão de contraste e profundidade, além de reduzirem reflexos. No caso dos dias nublados, as lentes cinza são as preferidas, pois melhoram a visão de contraste.

Leia mais: As 5 doenças mais comuns do verão e o que fazer para se proteger contra elas

O recomendado para surfistas e praticantes de esportes aquáticos são óculos de sol com as lentes rosa e púrpura, já que aperfeiçoam o contraste em fundos verdes e azuis. Se o caso é de sair no lusco-fusco do entardecer, as lentes amarelas ajudarão reduzindo o ofuscamento dos motoristas, provocado pela luz dos faróis. 

    Veja Também

      Mostrar mais