Minha Saúde

O consumo de água não tratada ou com problemas de qualidade pode dar origem a algumas doenças. Entre elas, diarreia, febre tifoide, hepatite A, leptospirose, cólera e infecções intestinais, causadas por bactérias como Escherichia coli, Salmonella sp. ou Rotavírus, por exemplo.

Leia mais: Supermercados no Rio registram falta de água mineral por crise da Cedae

Essa informação é especialmente importante diante dos questionamentos relativos à qualidade da água potável fornecida pela CEDAE no Rio de Janeiro. Quem faz o alerta é a coordenadora do Centro de Competência de Alimentação e Saúde da PROTESTE, Pryscilla Casagrande.

“Caso apresente um ou mais desses sintomas , é importante procurar o médico o quanto antes, para ter um diagnóstico mais preciso e confiável”, sugere.

Diante do possível problema da água no Rio de Janeiro, é importante observar o aparecimento desses sintomas e tomar certos cuidados para garantir que a água não vá fazer mal à saúde. “A água potável deve ser incolor (sem cor), inodora (sem cheiro) e não pode apresentar gosto atípico, ou seja, diferente da sensação normal de beber água”, alerta Pryscilla.

Cuidados no consumo da água para a saúde

Para garantir que a água não vá fazer mal à saúde, antes de consumi-la coloque-a num copo transparente e verifique se está turva ou com aparência de presença de sujidades. Se verificar essas características, evite o consumo. A turbidez é um indicador de baixa qualidade da água.

Até que o possível problema seja normalizado, o ideal é consumir água mineral, sugere a especialista. Porém, para quem não tiver condições de comprar água mineral, a recomendação é realizar uma fervura por cinco minutos antes de consumir a água, apagar o fogo e permanecer com a panela tampada por mais 10 minutos. Após esse tempo, deve-se deixar resfriar.

Leia mais: Sorotipo mais perigoso da dengue deve voltar a circular no Rio esse ano

A água potável deve ser incolor (sem cor), inodora (sem cheiro) e não pode apresentar gosto atípico, ou seja, diferente da sensação normal de beber água.

Segundo a Pryscilla, dependendo do problema da água, apenas fervê-la pode não solucionar. Então, se possível, após a fervura, deve-se usar também produtos de desinfecção vendidos para a finalidade de tornar a água potável, como hipoclorito de sódio.

“Para as demais atividades como tomar banho, escovar os dentes e lavar roupas, especialmente no caso de crianças, também é recomendável a fervura prévia da água”, enfatiza.

Como contribuir para as pesquisas

Recentemente, a PROTESTE notificou extrajudicialmente a Cedae e a Agenersa (Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro) para questionar se a causa do problema já foi definitivamente identificada e quais medidas a empresa do governo do Estado do Rio de Janeiro está tomando para diminuir os transtornos ao consumidor.

Os consumidores que já detectaram problemas na qualidade da água podem preencher este formulário . De posse delas, a PROTESTE vai avaliar futuras medidas a serem adotadas.

    Veja Também

      Mostrar mais