Nesta quarta (22), a Secretaria do Estado da Saúde de Minas Gerais (SES/MG) informou uma suspeita de infecção pelo coronavírus em Belo Horizonte. Entretanto, o Ministério da Saúde divulgou nota afirmando que o caso não se enquadra na definição estabelecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Leia mais: Após morte por febre hemorrágica em SP, mais de 100 pessoas são monitoradas

Coronavírus é o responsável por pneumonia misteriosa
shutterstock
Coronavírus é o responsável por pneumonia misteriosa


A paciente trata-se de uma brasileira de 35 anos que viajou a Xangai , na China, e que foi internada na última terça-feira (21) com a suspeita do coronavírus. Segundo a SES/MG, ela desembarcou na capital mineira no último dia 18 com sintomas respiratórios que seriam compatíveis com a pneumonia misteriosa causada pela nova cepa de vírus na Ásia.

Ela teria informado os médicos que não esteve em Wuhan , megalópole chinesa que está no epicentro do surto, nem entrado em contato com pessoas suspeitas. Essa informação foi citada pelo Ministério da Saúde em nota, na qual sustenta que Xangai, onde estava a suspeita, não há até o momento transmissão ativa do vírus.

As autoridades de saúde mineira identificaram o caso em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Belo Horizonte , e a brasileira foi transferida para o Hospital Eduardo de Menezes, também na capital. O estado de saúde dela seria "clinicamente estável", ainda segundo a nota da secretaria de Saúde.

Leia mais: China tem novos casos de pneumonia misteriosa e países entram em alerta

A nova cepa pertence à mesma família de vírus que foi responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers). Na China, quase 1,4 mil pessoas estão sob observação.

"O caso foi notificado como suspeito. Tendo em vista o contexto epidemiológico atual do país onde a paciente esteve, foi considerada a hipótese de doença causada pelo novo coronavírus, que é microorganismo de alerta sanitário internacional, considerando o potencial pandêmico com alto risco à vida e impacto assistencial", afirmou o governo de Minas Gerais em um trecho do comunicado.

A Secretaria de Saúde não divulgou a identidade da brasileira nem o município de sua residência. O complexo hospitalar é o mesmo que recebeu as vítimas do caso de intoxicação por dietilenoglicol em Minas Gerais

Leia mais: Estados Unidos confirmam primeiro caso de pneumonia misteriosa surgida na China

O Ministério da Saúde sustentou que o Governo Federal adotou diversos procedimentos para aprimorar a capacidade do país atuar diante do episódio ocorrido na China, entre as quais estão as medidas recomendadas pela OMS. Na nota em questão, também foram publicadas orientações de cuidados básicos para evitar o risco geral de infecções respiratórias. 

    Veja Também

      Mostrar mais