Embora pareça uma prática descomplicada, a ingestão de medicamentos orais - em especial os comprimidos - pode causar danos à saúde ou diminuir a eficácia do tratamento quando feita da forma errada. 

Leia mais:  Ter sempre um remédio na bolsa pode ser prejudicial; entenda os riscos

remédio
shutterstock
Existe uma maneira correta para tomar comprimidos

Práticas como partir o comprimido ao meio, engolir com ajuda de leite ou café ou até mesmo não utilizar líquidos para ajudar oferecem riscos. Em entrevista ao iG Saúde, o farmacêutico homeopático Jamar Tejada explica o que deve ser evitado e os motivos de preocupação.

Erro #1: Dividir o comprimido em duas ou mais partes 

Para diminuir o tamanho da pílula, adaptar uma dosagem superior a da receita, fazer o medicamento durar mais dias ou até para atender a recomendação do próprio profissional da saúde, muitas pessoas adquiriram o hábito de dividir o comprimido em partes menores. 

De acordo com Jamar, porém, a prática está completamente errada. “Quando quebramos um comprimido, sempre há uma perda de uma parte substancial do medicamento, que se esfarela e dificilmente é recuperada e consumida. Embora pareça irrelevante, essa parcela faz parte da dosagem ideal”, comenta. 

Outro ponto importante é que, “muitas vezes o princípio ativo da formulação do medicamento está concentrada em níveis diferentes nas duas metades do comprimido”, explica. Ou seja, caso o paciente escolha tomar uma das metades com menos princípios ativos, a dosagem pode ser ineficaz. O mesmo pode acontecer de maneira inversa, causando uma superdosagem inesperada. 

Segundo Jamar, “o ideal é sempre procurar a dosagem que foi prescrita pelo profissional. Caso não encontre a proporção sugerida, deve-se procurar uma farmácia de manipulação. Em último caso quando há a necessidade de partir, prefira as marcas que tem sulcos nos comprimidos , aquela linha que facilita o corte”, explica. 

Erro #2: Tomar comprimido com leite, chá, café ou suco

Outro costume comum - muitas visando até mesmo a proteção do estômago, por exemplo - é a ingestão de comprimidos com ajuda de outros líquidos não-alcoólicos. O profissional de saúde, porém, alerta que “um medicamento do tipo comprimido de uso oral foi desenvolvido para ser ingerido geralmente com água, que é um solvente universal”.

Pra Jamar, a justificativa está na composição química dos medicamentos. “dependendo do remédio, o mesmo pode interagir com as substâncias contidas na bebida, causando alterações”, diz. “Alguns antibióticos, por exemplo, podem ter seu efeito reduzido pelo cálcio contido no leite”.  

Outro risco é o de problemas na mucosa gástrica, pois “devido a acidez da bebida há o risco de o comprimido ou cápsula ser dissolvido em local não indicado. Por exemplo, um medicamento que deveria ser absorvido no trato intestinal pode ter sua ação liberada já lá no estômago por um simples erro na ingestão”, explica.

Erro #3: Ingerir o comprimido ou cápsula sem ajuda de líquidos

Este hábito é mais comum entre mulheres, que costuma engolir comprimidos anticoncepcionais - que têm tamanho reduzido - sem ajuda de água ou qualquer outro líquido. De acordo uma uma pesquisa realizada pelos médicos da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, todavia, ao menos 20ml de água devem ser ingeridos junto ao comprimido.

Leia mais: Misturar drogas comuns com remédios naturais pode ser prejudicial, diz estudo

“Ao engolir o comprimido com água, ela impedirá que o mesmo se adere no esôfago e cause desconforto, o que poderia gerar uma inflamação,queimação na garganta, dor no peito e até sensação de falta de ar”, explica Jamar. 

E os riscos pode ser ainda maiores caso a exposição seja prolongada. “Ainda se o comprimido fica muito tempo em contato com a parede do esôfago, pode surgir uma ferida no local. O dano causado por essa aderência será diferente a cada tipo de medicamento, podendo levar até mesmo a sangramentos”, diz.

    Veja Também

      Mostrar mais