China arrow-options
shutterstock
coronavírus na China

No último balanço oficial divulgado pelo governo da China sobre a epidemia do coronavírus 2019 n-CoV, o número de mortos subiu para 259 e já ultrapassa a marca de 11.800 os casos de pessoas infectadas. As mortes mais recentes foram registrados na província de Hubei, epicentro da epidemia. 

Leia também: Justiça manda demolir prédio na Muzema que tem até shopping erguido por milícia

Diante do surto, governos de outros países decidiram declarar estado de emergência pelos próximos seis meses. Na Itália, serão destinados 5 milhões de euros para medidas de contenção do coronavírus, além da designação de um comissário especial, que será Angelo Borrelli, chefe da Defesa Civil.

"A situação está sob controle", garantiu o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte. "As nossas medidas são as mais elevadas da Europa e os italianos podem seguir uma vida absolutamente normal", ressaltou.

 Além de todas as restrições impostas por vários países a cidadãos chineses, a Apple anunciou o fechamento de todas as suas lojas e escritórios na China até 9 de fevereiro. "O nosso pensamento vai às pessoas diretamente atingidas pelo coronavírus e às que trabalham sem interrupção para contê-lo", diz uma nota da empresa.

O governo dos Estados Unidos também informou que vai negar a entrada de qualquer estrangeiro que tenha viajado à China nas últimas duas semanas e que adotará a quarentena para americanos que estiveram na zona de risco.

Leia também: Bolsonaro fala em 'lei de quarentena' para garantir volta de brasileiros da China

O Brasil não confirmou nenhum caso de contágio do coronavírus , mas investiga 12 pessoas. Os pacientes estão em cinco estados: Ceará (1), Paraná (1), Rio Grande do Sul (2), Santa Catarina (1) e São Paulo (7).

    Veja Também

      Mostrar mais