Após a epidemia do coronavírus e suas consequentes mortes, " curandeiros " do mercado online Fiverr começaram a dizer que são capazes de proteger as pessoas do vírus. Esse processo seria pela "energia curativa" e "biomágica", pelo qual são cobrados até R$400, de acordo com o portal Dailymail .

Leia mais: China ainda tem escolas fechadas e 1.770 mortes por coronavírus

arrow-options
shutterstock
"Curandeiros" de mercado online afirmam conseguir proteger as pessoas do coronavírus


Numa das postagens do Fiverr de um membro chamado "proteção poderosa", é oferecida uma cura do coronavírus pela qual é cobrada o valor de R$190. No texto, o usuário promete: "eu impulsionarei o sistema imunológico e protegerei você do coronavírus".

Outra conta chamada Healer_ganna escreve: "Depressa! Coronavírus em todos os lugares! Vou impulsionar seu sistema imunológico e protegê-lo contra o coronavírus".

Healer_ganna afirma ter mais de 15 anos de experiência na cura de biomagia , porém, não explica nada sobre como ela funciona. Caso algum cliente diga que já se infectou com o coronavírus, o serviço fica R$100 mais caro.

No caso usuário waves2cure, a oferta envolve a transmissão de "ondas escalares" para impulsionar o sistema imunológico e curar o vírus. O anúncio de waves2cure ainda tenta explicar como funciona: "' frequências de cura ' para energizar e reconstruir seu sistema imunológico, usando uma fotografia, nome e endereço da pessoa em questão". 

A bizarrice não para por aí. Com o nome de faizgujjar648, o membro do Fiverr afirma possuir "certificados islâmicos" do Alcorão e promete restaurar a saúde daqueles que foram afetados pelo coronavírus. "Fale comigo e eu lhe farei uma súplica islâmica pelos seus problemas. Sou estudante do Alcorão", declara.

Leia mais: Coronavírus transforma papel higiênico em item valioso e alvo de ladrões

Os serviços disponíveis no site podem ser divididos em básicos, padrão ou premium, em que os preços variam a depender da opção. Um porta-voz da Fiverr chegou a comentar sobre o caso: "Estamos tomando medidas ativas para capturar esses serviços antes que eles entrem na plataforma e removê-los o mais rápido possível".

Nenhuma dessas curas oferecidas pelos tais "curandeiros" foi testada alguma vez. Cientificamente, o vírus ainda não possui cura conhecida. A maioria dos pacientes consegue se recuperar dentro de algumas semanas sem tratamento médico.

Os que desencadeiam reações mais graves - como infecções nos pulmões ou pneumonia - precisam de cuidados médicos especializados, já que a doença pode ser mortal.

O portal MailOnline chegou a divulgar anúncios da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertando para disseminação de curas falsas do coronavírus pela internet.

Além disso, a organização também desmentiu sobre uma série de medidas que ajudariam a evitar o coronavírus: secadores de mãos, lâmpadas UV, óleo de gergelim, passar álcool em spray no corpo, vacinas contra pneumonia, spray nasal e enxaguante bucal.

Nada disso funciona. Mas o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, twittou que "é hora de fatos, não de medo". Cientistas de todo o mundo estão tentando encontrar maneiras de combater a infecção.

Leia mais: Presidente chinês escondeu coronavírus por duas semanas

Como medidas realmente efetivas, estão as recomendações da Organização Mundial de Saúde - OMS: evitar contato com pessoas que possam estar doentes, usar lenço de papel quando tossir ou espirrar e praticar uma boa higiene das mãos. Nada de curandeiros online!






    Veja Também

      Mostrar mais