Vacina
Shutterstock
Vacinas começarão a ser aplicadas nas prisões de forma antecipada

O ministro Sergio Moro , da Justiça e Segurança Pública, anunciou na tarde desta terça-feira (31) que a aplicação de vacinas contra o vírus H1N1 vai ser adiantada nas prisões. O anúncio foi feito em entrevista coletiva que o governo anunciou medidas de combate à Covid-19 .

De acordo com o ministro, também não há casos confirmados nas cadeias brasileiras. "Apenas um caso foi registrado, em prisão domiciliar. Dentro do sistema prisional, não há registro", disse.

Leia também: Covid-19: Com 822 casos em um dia, São Paulo já registra uma morte por hora

O Brasil registrou mais 42 mortes causadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) nas últimas 24 horas, fazendo o total subir para 201, segundo balanço divulgado nesta terça-feira (31) pelo Ministério da Saúde. A alta corresponde a um crescimento de 20,9%.

De acordo com a pasta, os novos casos confirmados de Covid-19  são 1.138, totalizando 5.717. O aumento foi de 19,9%. Já a taxa de letalidade continuou em 3,5%.

Leia também: Prevent Senior pode sofrer intervenção após 79 mortes por Covid-19 em São Paulo

Moro também disse que presos que ofereçam risco à população não serão soltos, citando como exemplo os que fazem parte do crime organizado. "Tudo que não precisamos é aliar uma epidemia na saúde e os problemas na economia com uma crise na segurança. As solturas precisam ser muito ponderadas pelos magistrados”, disse o ministro. 

"Não há a iminência de qualquer movimento de saques. Claro que essa crise gera uma série de ansiedades, mas é inapropriado ficar antecipando caos que não deve acontecer. O governo está agindo em união, e essas questões estão sendo resolvidas e solucionadas", completou.

    Veja Também

      Mostrar mais