Nesta quarta-feira (01), celebra-se em diferentes regiões do mundo o Dia da Mentira. Apesar de popular na Europa e em países ocidentais, a origem da data é desconhecida. Rumores apontam o surgimento da mesma na França, no começo do século XVI, mas não há embasamento histórico para provar o mesmo.

Leia também: Casa Branca prevê ao menos 100 mil mortos pela Covid-19 nos EUA

coronavírus
Divulgação
coronavírus

Tradicionalmente, o Dia da Mentira é conhecido por pregação de peças, brincadeiras e enganações. Todavia, em meio à pandemia de Covid-19 , o iG Saúde resolveu celebrar a data de outra maneira: listando cinco fatos fakes que circulam pela internet sobre o novo coronavírus (Sars-coV-2).

Leia também: Covid-19: Projeto da USP visa construir ventiladores pulmonares mais baratos

Médicos chineses ensinam autodiagnóstico

Circula pelas redes sociais, principalmente pelo WhatsApp, dicas de médicos chineses que viajaram à Itália para ajudar na pandemia. Na mensagem difundida, os supostos especialistas sugerem que as pessoas façam uma verificação todas as manhãs.

"Respire fundo e prenda a respiração por mais de 10 segundos. Se você concluir com êxito sem tossir, sem desconforto ou uma sensação de opressão, isso mostra que não há fibrose nos pulmões, indicando essencialmente nenhuma infecção", diz o trecho da dica fake.

Apesar de a informação de que médicos chineses serem verdade, o autodiagnóstico é altamente não recomendado pela Organização Mundial da Saúde. A orientação é que, ao sentir os sintomas, recorra a ajuda médica.

Ácido gástrico mata o vírus 

Ainda na mesma mensagem é sugerido que a pessoa beba água a cada 15 minutos, pois, uma vez no estômago, o ácido gástrico elimina o vírus. Apesar de a orientação de beber água ser postiva à saúde, não há estudos que comprovem que o ácido gástrico mata o novo coronavírus. Muito pelo contrário, a Organização Mundial da Saúde orienta para que as pessoas evitem colocar a mão na boca, olhos e rosto, pois são partes do corpo com alto risco de contaminação. 

"mesmo que o vírus entre na sua boca, a água ou outros líquidos o varrerão pelo esôfago e pelo estômago. Uma vez na barriga, o ácido gástrico do estômago mata o vírus. Se você não beber água suficiente com mais regularidade ... o vírus pode penetrar nas vias aéreas e nos pulmões. Isso é muito perigoso", diz a dica fake.

Ph dos alimentos VS coronavírus

Pinóquio
Divulgação
Pinóquio

Circula também pela web um suposto artigo de uma revista de virologia. Nele há uma lista de alimentos - como alho, limão, abacaxi e entre outros - com PH superior ao do Covid-19. Na mensagem, a pessoa incentiva outras a ingerirem os alimentos dizendo que é a "solução para vencer o vírus".

"Tudo o que precisamos fazer para vencer o vírus é ingerir mais alimentos alcalinos, que estão acima do nível de pH do corona", diz a mensagem fake.

A dica foi altamente refutada pelas autoridades. Ao G1 , por exemplo, o doutor Rômulo Nery, da UFRJ, explicou: "Não é possível mudar o pH da sua garganta ou do seu pulmão (onde chega o vírus) pelo fato de a alimentação ser mais ácida ou mais básica. Os alimentos são processados no estômago, que tem pH muito ácido. Quando os nutrientes são absorvidos pelo sangue, o pH não é mais relevante”, aponta. “O vírus não está só na garganta, mas no pulmão, traqueia, brônquios, onde comida e bebida não chegam”.

Fusão do gene da cobra com um morcego

Outra mentira que circula pelas redes é a "dica" de uma médica chinesa da Universidade de Zanjan. Na mensagem difundida, a mesma - que supostamente corre risco de ser presa - aconselha pessoas a ingerirem vitamina C e alega que o vírus originou-se da fusão do gene de uma cobra com um morcego, adiquirindo capacidade de infectar mamíferos, incluindo humanos.

A mensagem ainda indica que o consumo de limão quente em rodelas colocadas em água quente) poderia proteger e até salvar a vida de quem contraiu a Covid-19.

Há várias incongruências no texto. A primeira é a origem da mensagem: a Universidade de Zanjan fica no Irã e não na China. A segunda é que não há ainda nenhuma comprovação de que o vírus foi transmitido por animais. As formas de transmissão, segundo a OMS, ainda estão sendo investigadas. Além disso, a fusão dos genes da cobra com um morcego levanta suspeitas por si só.

Beber quente e tomar Sol

Por fim, algumas postagens sugerem que a prática de ingerir água quente e tomar Sol é capaz de matar a Covid-19 . Há algum tempo, quando o vírus ainda não tinha circulação nacional, especialistas analisavam a possibilidade de o clima quente atrasar o avanço da doença. Todavia, a hipótese foi descartada. A revista Jama - Journal of The American Association -, inclusive, publicou um artigo recentemente alegando que o vírus é capaz de resistir a altas temperaturas e umidade .

    Veja Também

      Mostrar mais