bebê arrow-options
Pixabay
Recém-nascidos devem ser afastados de qualquer pessoa com sintomas de gripe ou covid-19

SÃO PAULO. Mães de recém-nascidos devem ter cuidados especiais para cuidar de seus bebês se apresentarem quaisquer sintomas associados à Covid-19. Se testar positivo para o novo  coronavírus (Sars-CoV-2), é necessária a separação provisória de mãe e filho.

A recomendação é da professora da Faculdade de Medicina da USP, Vera Krebs, especialista em neonatologia e Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal, com base nas diretrizes da Academia Americana de Pediatria. Segundo ela, é preciso evitar que gotículas respiratórias da mãe entrem em contato com o recém-nascido.

O Hospital Santa Joana, em São Paulo, registrou o primeiro caso de Covid-19 em recém-nascidos no Brasil. Uma menina nascida no dia 18 de março e que foi colocada na UTI devido à uma arritmia cardíaca teve, após nove dias, febre de 38 graus e sangue nas fezes. Ela foi tratada com antibiótico para conter a inflamação intestinal. Foi feito teste e deu positivo para coronavírus.

O pai da criança estava com sintomas de gripe e a mãe só relatou estar com tosse depois que a criança teve febre - como sofre de asma, não teria associado o sintoma à Covid-19. O quadro da criança evoluiu bem, segundo o hospital, e ela deve ter alta em breve. Mãe e filha foram separadas - a mãe ficou em isolamento domiciliar e liga diariamente para obter informações.

Outro recém-nascido, que estava na mesma sala de UTI do Hospital Santa Joana, testou positivo, mas se manteve assintomático e teve alta no sábado.

Segundo Vera, as mães com sintomas de gripe devem lavar as mãos prolongadamente antes de tocar em seus bebês, usar máscara cobrindo boca e nariz com troca a cada mamada e evitar falar durante a amamentação. O ideal, segundo a especialista, é que a mãe use máscara sempre que se aproximar ou tocar na criança. Além disso, deve evitar ficar junto o tempo todo - o ideal é manter distância de dois metros nos períodos em que o bebê estiver dormindo, por exemplo.

Caso opte por retirar o leite no lugar de amamentar , bombas e acessórios devem ser minuciosamente higienizados com água e sabão.

- Na dúvida se está ou não com coronavírus, é preciso redobrar os cuidados - diz ela.

Leia mais: Médicos podem prescrever cloroquina se assumirem os riscos, avisa Mandetta

Vera afirma que desconhece outros casos de recém-nascidos infectados pelo coronavírus no Brasil. Segundo ela, o impacto do coronavírus nas gestantes ainda não é bem conhecido, já que são poucos os estudos concluídos até agora. Não há relatos de transmissão placentária de mãe para filho, mas a possibilidade, segundo a especialista, ainda não pode ser descartada.

- É preciso estudar os efeitos dos fluidos maternos e a transmissão perinatal, que ocorre do parto até a primeira semana de vida. É tudo muito recente - explica.

As recomendações da Academia Americana de Pediatria, segundo a professora, orientam para procedimentos de parto de mães com teste positivo de coronavírus. Neste caso, mãe e bebê devem ser mantidos separados após o nascimento da criança, ainda que provisoriamente, para evitar contágio por secreções respiratórias.

Leia mais: 173 pacientes internados por Covid-19 receberam alta nas últimas 24h

Caso a mãe exija ficar com a criança, o bebê pode ficar no mesmo quarto, mas dentro de incubadora e com distância mínima de um metro e meio. O desejo da mãe deve ser documentado. No parto e nos procedimentos de cuidados com o bebê, os profissionais devem usar Equipamentos de Proteção Individual , como máscaras, luvas, aventais e gorros. O banho do bebê deve ser imediato, para limpeza de secreções.

Se testada positivo, a criança deve ser mantida isolada das demais, em espaço individual com pressão negativa de filtragem de ar. Se não houver UTI neonatal individual, a distância entre incubadoras não pode ser inferior a um metro e meio.

Em qualquer caso, nenhuma pessoa com sintoma de gripe deve se aproximar de recém-nascidos.

    Veja Também

      Mostrar mais