vacina arrow-options
shutterstock
Governo britânico desembolsou mais de 40 milhões de libras no desenvolvimento de vacinas

Dois voluntários receberam a vacina para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Universidade de Oxford, na Inglaterra, marcando o início dos testes em seres humanos na Europa. Outros 800 voluntários receberão uma dose da vacina nas próximas semanas.

LEIA MAIS: Alemanha começa a reabrir comércio; Merkel pede cautela

“Pessoalmente, tenho muita confiança nessa vacina ”, disse Sarah Gilbert, responsável pelos estudos clínicos da nova vacina para a Covid-19 em Oxford. “Claro que ainda temos que testar muito para obter mais dados em seres humanos. Precisamos demonstrar que ela realmente é eficaz antes de entregá-la para a população”.

Aporte milionário na Inglaterra

A Universidade de Oxford recebeu um aporte milionário de 20 milhões de libras do governo britânico para o desenvolvimento de uma vacina. Para a Universidade Imperial College, foram 22,5 milhões. 

A busca global por uma vacina para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) tem grande chance de sucesso, segundo o professor Robin Shattock, da Universidade Imperial College de Londres. O pesquisador que está diretamente ligado ao desenvolvimento da nova vacina afirmou à Rádio BBC que a comunidade científica está “confiante”.

Com resultados positivos nos testes clínicos, a Imperial College busca por voluntários saudáveis para iniciar os testes da nova vacina para a Covid-19 em junho. Na Universidade de Oxford, voluntários já recebem em torno de 625 libras esterlinas para os testes preliminares que deverão recrutar 1,1 mil pessoas.

“Há muitos grupos trabalhando para desenvolver uma vacina em todo o mundo, e este vírus não se mostra tão difícil de rastrear quanto outras coisas que já vimos antes”, contou o professor Shattock à BBC. “Há grandes chances de sucesso, e esperamos que seja um dos dois modelos que estão sendo desenvolvidos no Reino Unido”

    Veja Também

      Mostrar mais