Os testes da vacina contra o novo coronavírus, que foi desenvolvida na China pela empresa Sinovac, serão realizados no Brasil após autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O pedido para a testagem foi feito pelo Instituto Butantan e o governador de São Paulo, João Dória, chegou a anunciar em 11 de junho. Os testes vão acontecer em várias partes do país.

Vacina
shutterstock
Vacina contra o coronavírus será testada no Brasil


Chamada CoronaVac, a vacina é produzida com cepas inativas do coronavírus. De acordo com o ‘Terra’, a fase de testes já está em sua terceira fase. No Brasil, serão 9 mil voluntários do Distrito Federal e de diversos estados, incluindo São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Durante os testes, algumas pessoas receberão a vacina e outros um placebo, ou seja, uma vacina sem efeito. Assim será possível analisar como os anticorpos reagem no corpo contra o vírus.

Segundo a Anvisa, na primeira e na segunda fase de testes, que foram feitos com humanos saudáveis e em animais, tiveram respostas imunes “favoráveis”. Mesmo com a aprovação da Anvisa, o Instituto Butantan explicou na última segunda-feira (29) que ainda será preciso uma validação do conselho ético para a testagem em humanos. Esse aval ficará a cargo da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) ou da Comissão de Ética para Análise de Projetos de Pesquisa (CAPPesq), sendo a primeira ligada ao Mistério da Saúde e a segunda a Secretaria Estadual da Saúde.


A testagem terá um custo de cerca de R$ 85 milhões e vale ressaltar que essa é a segunda vacina testada no Brasil. Em junho, a Anvisa também liberou os testes com uma vacina produzida na Universidade de Oxford, na Inglaterra.

    Veja Também

      Mostrar mais