produto
shutterstock
Produtos de limpeza podem representar perigo para peles mais sensíveis

Quem ouve a analista de comunicação Mariah Villanova contar que precisou lidar com uma alergia na pele e “sintomas que duraram semanas, com muito desconforto e ardência” pode não imaginar que o causador do problema foi um simples sabonete líquido, usado com frequência por ela para lavar as mãos e reduzir chances de contágio e infecção pela Covid-19 durante a pandemia.

“Comprei uma marca mais barata de sabonete líquido , porque o uso aumentou na quarentena e escolhi economizar. O problema é que em poucos dias isso gerou urticária na pele. Precisei me tratar com uma pomada específica e agora, por recomendação profissional, estou usando sabonetes mais leves, para pele de bebê”, explica. 

Como Mariah, muitas pessoas aumentaram os cuidados com a limpeza dos ambientes e higiene pessoal neste período. A necessidade, porém, representa um contato mais frequente e prolongado com produtos químicos que podem agredir a pele ou causar reações alérgicas. Para ajudar a evitar situações desagradáveis ou perigosas, o iG saúde conversou com a dermatologista Bárbara Carneiro sobre o assunto. 

Desinfetantes, sabonetes, perfumes e o próprio álcool em gel, podem causar desconforto em peles mais sensíveis. De acordo com a profissional de saúde, “ diferentes fatores podem desencadear algum tipo de reação na pele, desde poeira e insetos até cosméticos”, sendo a reação alérgica um dependente de muitas combinações no corpo e substância. Assim, não existe um critério para identificar uma possível alergia além dos exames clínicos e da própria observação. 

Ainda segundo Carneiro, as reações mais comuns são “urticária, que se caracteriza por lesões  avermelhadas, em placas e com relevo, evoluindo com coceira; dermatite de contato que é uma forma de irritação da pele causada pelo contato com substâncias específicas e angioedema que é mais grave porque atinge as camadas mais profundas da pele e também as mucosas, podendo provocar inchaço dos lábios, língua, olhos e até atingir as vias respiratórias”. 

Para evitar a evolução das reações, a dermatologista explica que é fundamental interromper o uso do produto causador da alergia no momento em que ela for identificada. Caso o paciente ainda não esteja certo sobre qual produto seja responsável pelos sintomas , uma dica é evitar o contato com a maior quantidade possível de produtos químicos - se necessário usando luvas - e permanecer atento. 

Confira a lista de cuidados que podem evitar reações desconfortáveis e colocar sua pele em risco, de acordo com a profissional 

  • Dê preferência aos produtos de marcas conhecidas e de qualidade. Evite trocas de produtos durante a pandemia, que é um momento de maior necessidade;
  • Sempre que possível, use luvas de borracha que protegem as mãos não apenas das alergias, mas de lesões causadas pelo produto;
  • Não descuide da hidrtação! Um creme específico para as mãos é ideal para usar ao longo do dia, especialmente após o uso de produtos de limpeza;
  • O uso de ferramentas que diminuem o contato da pele com os produtos, como esfregões com cabo e espanadores de pó, podem ser de enorme ajuda para reduzir reações alérgicas. 

Além disso, deve-se procurar um dermatologista com urgência para recomendações sobre tratamento e cuidados durante o problema. A profissional ainda recomenda o uso de “água termal, hidratantes e protetor solar”, que devem equilibrar as defesas da pele.


    Veja Também

      Mostrar mais