Filopodia não são comuns%2C mas foram observados em outros vírus como o Marburg
ELIZABETH FISCHER, MICROSCOPY UNIT NIH/NIAID
Filopodia não são comuns, mas foram observados em outros vírus como o Marburg

Um novo problema relacionado ao novo coronavírus (Sars-coV-2) pode estar caminhando a passos sileciosos na pandemia . Há algum tempo, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) tem encaminhado aos serviços de saúde notas técnicas com orientações sobre a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P).

A enfermidade é um quadro que acomete crianças e adolescentes possivelmente relacionado à Covid-19 , todavia, ainda não há estudos que comprovem essa relação causal.

O primeiro alerta da problemática foi dado em abril pelo sistema de saúde inglês. Em seguida, outros países da Europa e América do Norte reportaram casos.

Os relatos das ocorrências descrevem manifestações sindrômicas caracterizadas por febre persistente e elevada acompanhada de um conjunto de sintomas que podem incluir hipotensão (pressão baixa ou choque), comprometimento de múltiplos órgãos e elevados marcadores inflamatórios. O paciente hospitalizado pode apresentar manifestações cardiovasculares ou gastrointestinais agudas (diarreia, vômito, dor abdominal); conjuntivite ou manifestações cutâneas; quadro inflamatório e confirmação laboratorial (técnica RT-PCR ou sorologia) ou história de contato com caso confirmado do novo coronavírus .

Até o momento, Pernambuco registrou 2 casos notificados da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica . Ambas no início de julho. As duas receberam alta médica e não apresentaram sequelas. Com informações do Diário de Pernambuco .

    Veja Também

      Mostrar mais