Cientista fazendo pesquisa em laboratório
TECPAR
Pesquisa está sendo realizada em parceria com a Fiocruz

Um grupo de pesquisadores dos maiores hospitais brasileiros vai realizar um estudo que avalia a eficácia e a segurança dos medicamentos antivirais em pacientes com quadros moderados da Covid-1 9, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). A pesquisa é realizada em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e vai testar remédios comumente utilizados contra o HIV e a hepatite C.

A equipe é formada por especialistas dos hospitais Albert Einstein, HCor, Sírio-Libanês, Moinhos de Vento, Oswaldo Cruz, Beneficência Portuguesa de São Paulo, além do Brazilian Clinical Research Institute (BCRI) e da Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva (BRICNet).

Os medicamentos a serem testados já são aprovados para uso corrente em outras doenças virais e se mostraram muito eficazes em reduzir a carga viral do novo coronavírus em estudos "in vitro" realizados pela Fiocruz.

Esses remédios são atazanavir, sofosbuvir associado ao daclatasvir e somente daclatasvir. Estudos clínicos com esses medicamentos em pacientes com Covid-19 já foram iniciados no Irã, Egito, África do Sul e Argélia.

A pesquisa, que é a nona a ser realizada pela aliança, testará se os antivirais isolados ou em combinação serão eficazes para tratar casos de Covid-19 em pacientes hospitalizados com doença moderada. O objetivo será observar a potencial diminuição da carga viral na primeira fase do estudo, seguida de uma segunda fase em que se avaliará melhora clínica através da quantidade de dias livres de suporte respiratório.

Serão recrutados, por sorteio, participantes que estejam na primeira semana da doença, em 35 centros distribuídos nas regiões onde a pandemia está em ascensão. A estimativa dos pesquisadores é recrutar até 1012 pacientes em 90 dias, somando as duas fases do estudo.

Estudo sobre hidroxicloroquina

No último dia 23 de julho, a  coalizão divulgou o resultado do estudo que avaliou se a hidroxicloroquina, associada ou não à azitromicina, poderia trazer benefícios a pacientes adultos hospitalizados com formas leves a moderadas de Covid-19.

O estudo foi publicada no periódico científico New England Journal of Medicine  e mostrou que as drogas não promoveram melhoria na evolução clínica dos pacientes. A avaliação do efeito do tratamento com hidroxicloroquina, com ou sem azitromicina, considerou como resultado principal o status clínicos dos 667 pacientes incluídos no estudo 15 dias após a inclusão.

    Veja Também

      Mostrar mais