Argentina
Reprodução/Twitter
Argentina ultrapassou a marca de 10 mil casos diários pela primeira vez

Dados divulgados nesta quarta-feira (26) mostram que a pandemia da Covid-19 segue em alta na maioria dos países que tentam combater o vírus. Argentina , Colômbia e México voltaram a atingir marcas expressivas de novos casos e mortes, enquanto a Coreia do Sul tenta conter um novo surto causado pela descrença de parte da população.

Por outro lado, a China, que foi o epicentro inicial da Covid-19 , registrou o 11° dia consecutivo sem transmissões domésticas do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Com isso, o país batalha agora para reduzir o número de importações da doença, uma vez que os últimos caso registrados foram de pessoas que chegaram pelos aeroportos, vindos de outras nações.

Américal Latina

Segundo informações do Ministério da Saúde da Argentina , o país registrou pela primeira vez a marca de mais de 10 mil novos casos diários desde o início da pandemia. Ao todo, foram 10.550 novas infecções nas últimas 24h, o que elevou o total para 370.188. Além disso, o país registrou 276 mortes e agora soma 7.839.

Com isso, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, a Argentina ocupa as posições 11 e 18 nos rankings dos países com os maiores números de casos e óbitos causados pela doença, respectivamente.

México e Colômbia alcançaram novos patamares no número de óbitos. Entre os mexicanos, a doença já fez 62.076 vítimas, terceiro maior valor entre todas as nações do planeta, atrás apenas de EUA (179.743) e Brasil (117.665), além de ter infectado outras 573.888. Na nação sul-americana, mortes ultrapassaram a marca de 18 mil, valor que deixa os colombianos na 11ª posição do ranking mundial, e contaminações chegaram a 572.243.

China e Coreia do Sul

Na Ásia, os dois países vivem situações distintas. De acordo com a agência de notícias EFE, a Comissão Nacional de Saúde da China relatou 8 novos casos, todos contraídos no exterior, o que mantém a sequência de 11 dias seguidos sem transmissões locais. Os chamados "casos importados" foram diagnosticados em Xangai (2), Sichuan (4) e Hebei (2).

Por outro lado, os sul-coreanos veem um aumento considerável no número de novos casos nos últimos dias , a maioria relacionados a grupos religiosos que negam a existência de uma pandemia . Nas últimas 24h, foram 400 novos registros, maior valor desde o dia 07 de março.

Com isso, o governo considera a possibilidade de implementar o nível 3 de distanciamento no país, principalmente na capital Seul. Caso isso ocorra, as reuniões com mais de dez pessoas ficarão proibidas e muitos estabelecimentos terão que ser fechados, como cinemas e alguns restaurantes.

    Veja Também

      Mostrar mais