depressão
shutterstock
Restrições impostas pelo isolamento social aumentaram casos de excesso de consumo de bebidas alcoólicas e drogas como válvula de escape.

A pandemia causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) causou alterações psíquicas na sociedade, segundo a psicanalista Sandra Edler, autora do livro "Tempos compulsivos". A especialista afirma que as restrições impostas pelo isolamento social aumentaram casos de excesso de consumo de bebidas alcoólicas e drogas como válvula de escape.

“O isolamento social, as perdas e as restrições impostas pelo novo contexto pandêmico ampliaram depressões, angústias, crises de pânico, insegurança e medo. Estamos diante de um vírus desconhecido, sem conhecimento de seu comportamento, duração e consequências”, afirma Edler, que dará curso online na Casa do Saber Rio, em novembro, com o tema "Tempos compulsivos?".

Segundo a especialista o isolamento social potencializou a criatividade, começando um movimento de tentativa de adaptação. “Famílias se aproximaram, muitas mães voltaram a estudar com os filhos. Houve avanço para muitas pessoas. No entanto, somos seres em conflito e a pandemia trouxe novos problemas e reacendeu antigos”, diz.

Além da compulsão pela maior frequência do uso de drogas e álcool, Edler também alerta para o aumento da exposição a telas. “Toda compulsão preocupa porque tolhe ainda mais a já restrita liberdade do sujeito. Além disso, o uso de substâncias tóxicas, a ingestão excessiva de alimentos e outros, podem ocasionar prejuízos ao organismo como um todo”.

“As compulsões podem começar na busca pelo prazer ou como uma forma de "automedicação", compensando incômodos da vida, amortecendo preocupações, como disse Freud, encobrindo depressões e angústia, por exemplo. Mas o que foi inicialmente a busca pelo prazer ou algo ocasional pode tornar-se necessário para continuar a viver.”

    Veja Também

      Mostrar mais