Vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac
Reprodução Governo de SP
Vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac

Após a Turquia anunciar que a CoronaVac mostrou 91,25% de eficácia nos testes realizados no país , a gestão Doria (PSDB) vê a possibilidade de antecipar a divulgação da efetividade da vacina nos testes realizados em São Paulo.

O anúncio do Instituto Butantan estava marcado para esta quarta-feira (23), mas foi adiado sob justificativa de que trata-se de uma cláusula contratual. Além do Brasil e da Turquia, a Indonésia e a China também administram a vacina.

Na coletiva de ontem, o diretor do Instituto Butantan disse que a CoronaVac atingiu "o limiar de eficácia para solicitar o uso emergencial da vacina tanto no Brasil como na China"

O fato do número não ter sido especificado levantou dúvidas em parte da comunidade científica, que teme que a vacina tenha apresentado baixa eficácia em comparação a outros imunizantes como o da Pfizer e da Moderna.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários