Vacina: embaixador chinês confirma liberação de insumos para a Coronavac
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Vacina: embaixador chinês confirma liberação de insumos para a Coronavac

O governo do estado de São Paulo afirmou, nesta terça-feira (26), após reunião com o embaixador da China no Brasil, Yang Yaming, que um novo lote - de 5.400 litros de insumos - chegam da China no dia 3 de fevereiro para a produção de aproximadamente 8,6 milhões de doses da vacina Coronavac. Elas ficam prontas para distribuição em 20 dias, segundo o governo.

Quem confirmou primeiro a notícia foi o embaixador chinês, que participou da coletiva do governo do estado no início do evento. "Em relação à autorização para exportação dos insumos da vacina, todo sabemos que se trata de uma questão técnica e não política. As vacinas são uma arma para conter a pandemia e a saúde do povo e não um instrumento político. A situação da pandemia ainda é incerta, a parte chinesa está disposta a fazer comunicações e apoiar a parceria entre a CoronaVac e o Butantan", afirmou Yang Yaming.

"Nós tivemos essa sinalização, de que a liberação desses lotes será feita de uma maneira muito rápida começando por esses 5,4 mil litros que foram anunciados no dia de ontem (segunda-feira) e chegarão aqui na próxima semana, com previsão do dia 3 de fevereiro", afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Ainda de acordo com o diretor, outros 5,6 mil litros estão em processo avançado de liberação. A expectativa do governo paulista é de receber, até abril, o total de insumo para produção das 40 milhões de doses contratadas junto à China.

Você viu?

"Na sequência há um outro volume de 5, 6 mil litros que também foi anunciado pelo embaixador, que também está em processo de liberação. Com esses dois lotes totalizando 11 mil litros nós regularizaremos as nossas entregas ao Ministério e o restante que deverá vir no que já está planejado até o final de abril, completou Dimas Covas.

Atritos com o governo federal 

Nesta segunda (25), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou, em uma rede social, que a Embaixada da China no Brasil informou que os insumos estavam liberados. No mesmo dia, o governador se manifestou por meio das redes sociais.

"Não é verdade o que disse o Presidente Bolsonaro em suas redes, de que a importação de insumos da China foi uma realização do Governo Federal. Todo o processo de negociação com a China para liberação de insumos para a vacina do Butantan foi realizado pelo Instituto e pelo Governo de São Paulo", escreveu Doria em suas redes sociais.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários