João Gabbardo fala sobre estratégias de imunização, altas taxas de transmissão e produção da vacina contra o Novo Coronavírus
Governo do Estado de São Paulo
João Gabbardo fala sobre estratégias de imunização, altas taxas de transmissão e produção da vacina contra o Novo Coronavírus

Em entrevista para o Jornal da Record, João Gabbardo , o secretário-executivo do Centro de Contingência em combate ao Coronavírus em São Paulo, falou sobre as estratégias utilizadas para vacinação contra o Covid-19 , a alta taxa de transmissão do vírus no estado e a produção de vacinas pelo Instituto Butantã .

Ponto em comum com o Ministério da Saúde

João Gabbardo e o ministro Eduardo Pazuello possuem um pensamento que os une: priorizar a aplicação da primeira dose da vacina . Mesmo o tema não sendo unanimidade no Centro de Contingência , Gabbardo revelou que defende a tese de acelerar a aplicação das vacinas.

Transmissibilidade alta preocupa

A alta taxa de transmissão do coronavírus no estado de São Paulo também foi tema. O secretário-executivo defendeu a tese de que a vacinação e a distribuição de vacinas não pode ser feita levando em consideração a transmissibilidade. Segundo ele, a vacina deve ser aplicada por quem ainda não teve o contato com o vírus pois esse é um método preventivo .


Produção e distribuição

Gabbardo revelou, ainda, que o Instituto Butantã não está dedicado de maneira integral à produção das vacinas contra o Coronavírus. No momento, a produção está dividida por conta da imunização contra o Influenza . A produção diária, por enquanto, é de 400 a 450 mil doses e esse número deve se manter até maio. Após esse período, é esperado que a fábrica eleve esse número para um milhão de doses ao dia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários