Números da Covid-19 nas favelas do Rio aumenta nas últimas 24 horas
Agência Brasil
Números da Covid-19 nas favelas do Rio aumenta nas últimas 24 horas

O avanço de casos e mortes pela Covid-19 no Rio de Janeiro atinge em cheio as comunidades da capital Fluminense. Em 24 horas, cinco pessoas morreram e 49 novos infectados foram registrados com Coronavírus, segundo o Painel de Atualização de Coronavírus nas Favelas do Rio de Janeiro, criado pelo coletivo Voz das Comunidades .

Dois dos cinco óbitos aconteceram na Vila Kennedy, na Zona Oeste, dois no Lins de Vasconcelos, na Zona Norte, e um no Morro da Babilônia/Chapéu Mangueira, na Zona Sul. Os dados foram atualizados pela plataforma até quinta-feira (25).

Das 25 favelas do Rio que o Voz das Comunidades acompanha, 15.564 moradores já foram infectados e o número de mortes devido ao coronavírus chegou a 1.474 desde o início da pandemia, em março de 2020. O Complexo da Maré é o líder do número de casos, com 13 infectados, seguido do Jacaré, com cinco, além de Rocinha e Lins de Vasconcelos, ambos com quatro casos.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (26), dia que o decreto municipal de dez dias entrou em vigor, o secretário municipal de Saúde , Daniel Soranz, afirmou que atualmente são 663 pessoas internadas em leitos de CTI. Ainda de acordo com Soranz, a mortalidade nas UTIs chega a 40%. Os dados do Comitê Científico mostram que há um crescimento de casos das novas cepas da doença na cidade. Em uma semana, triplicou o número nos diagnósticos laboratoriais por Covid-19 entre moradores, a maior parte da variante P1.

Nesta sexta (26), entraram em vigor as restrições anunciadas pela prefeitura e o governo contra o Covid-19. A prefeitura montou três barreiras sanitárias (uma na Linha Amarela, na altura da saída 4, sentido Barra da Tijuca; uma segunda no Trevo das Missões, e outra na Avenida das Américas, na Grota Funda, no sentindo Barra da Tijuca) para evitar que ônibus ou vans, que não são de linhas convencionais, entrem na cidade durante o período do recesso.

Os dez dias de combate à Covid-19, que começam hoje e vão até 4 de abril, Domingo de Páscoa, terão duas frentes importantes. Uma delas é um grande esforço para esvaziar as ruas do Rio no período, que embora tenha sido chamado de feriadão, é na verdade um recesso forçado para combater o avanço do coronavírus . A outra é uma tentativa de reduzir a fila para UTIs no estado que na quinta-feira superou a marca de 600 pacientes — a maior desde o início da pandemia —, não só diminuindo a circulação de pessoas, mas também abrindo novos leitos hospitalares.

Você viu?

Confira onde estão casa um dos casos de Covid-19 nas favelas dos Rio:

49 novos casos confirmados

- 1 caso no Morro da Babilônia/Chapéu Mangueira;
- 1 caso no Morro da Providência;
- 1 caso no Tavares Bastos; 
- 1 caso no Santo Amaro; 
- 1 caso em Manguinhos;
- 1 caso na Cidade de Deus;
- 1 caso em Vigário Geral;
- 1 caso no Jacarezinho;
- 2 casos na Gardênia Azul;
- 2 casos no Vidigal;
- 2 casos no Complexo do Alemão;
- 2 casos no Complexo da Penha;
- 2 casos na Vila Kennedy;
- 2 casos na Ladeira dos Tabajaras;
- 3 casos no Mandela;
- 4 casos na Rocinha;
- 4 casos no Lins de Vasconcelos;
- 5 casos no Jacaré;
- 13 casos no Complexo da Maré.



5 novos óbitos

- 1 óbito no Morro da Babilônia/Chapéu Mangueira;

- 2 óbitos na Vila Kennedy;

- 2 óbitos no Lins de Vasconcelos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários