Marcelo Queiroga, ministro da Saúde
Tony Winston/MS
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , disse em entrevista nesta quinta-feira (29) que o Brasil vacina a sua população com eficiência contra a Covid-19 e que negar que isso acontece é "negar o óbvio". "Negacionismo é querer negar o óbvio. Nós vacinamos nossa população com eficiência", afirmou o chefe da pasta.

"Vamos com seriedade, vamos confiar no País. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos", completou Queiroga ao repetir frase que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) costuma repetir em seus pronunciamentos.

A fala do ministro foi durante a chegada de lote de 1 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech nesta quinta-feira (29). O carregamento desembarcou no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, por volta das 19h.

A remessa faz parte do acordo firmado entre o Ministério da Saúde e a farmacêutica em 19 de março, que totaliza 100 milhões de doses de vacinas até o final do terceiro trimestre de 2021. Essas primeiras doses foram produzidas na fábrica da Pfizer em Puurs, na Bélgica.

A vacina da Pfizer possui registro para uso definitivo concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O imunizante pode ser aplicado em pessoas a partir de 16 anos de idade, em duas doses, com intervalo de 21 dias entre elas.

Você viu?

Durante a entrevista, o ministro da Saúde ainda afirmou que o Brasil vai distribuir 16,8 milhões de doses de vacinas nos próximos seis dias.

Distribuição e aplicação

A logística de distribuição das vacinas da Pfizer/BioNTech organizada pelo Ministério da Saúde leva em conta as baixas temperaturas de refrigeração das doses, que chegaram armazenadas em caixas a uma temperatura de -70°C. A previsão é de que a distribuição para as 27 capitais do País inicie entre sexta-feira (30) e sábado (1°), em uma divisão proporcional e igualitária.

Os estados vão receber as vacinas armazenadas entre -25°C e -15°C - elas podem ficar nesta faixa de temperatura por até 14 dias. Por conta disso, a distribuição desse lote inicial será feita em duas etapas.

Primeiramente, serão enviadas aos estados e Distrito Federal as vacinas destinadas para a primeira dose (500 mil). Uma semana depois, as Unidades Federativas receberão os lotes para segunda dose (500 mil), respeitando o intervalo de aplicação entre uma dose e outra.

Assim que os imunizantes chegarem nas salas de vacinação, na rede de frio nacional (+2°C a +8°C), a aplicação na população deve ocorrer em até cinco dias. Devido ao curto espaço de tempo, o Ministério da Saúde orienta, para essa primeira remessa, que a vacinação com as doses da Pfizer fique restrita às capitais e, se possível, ocorra em unidades de saúde que possuam câmaras refrigeradas cadastradas na Anvisa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários