Pesquisa encontra conexão entre a Covid-19 e derrames em pacientes jovens
Reprodução
Pesquisa encontra conexão entre a Covid-19 e derrames em pacientes jovens

Há mais de um ano, desde que a pandemia se instalou por vários países, pesquisadores e médicos investem horas e mais horas procurado entender como o vírus da covid afeta outras doenças, principalmente as neurológicas. Logo no início de 2020, o Hospital Mount Sinai de Nova York relatou que cinco pacientes mais jovens com o vírus tiveram derrames.

O relatório fez com que os pesquisadores ficassem receosos caso o vírus pudesse aumentar o risco de derrame, mesmo em pacientes sem histórico de doenças vasculares, como: hipertensão, diabetes ou tabagismo. Eles descobriram um aumento definitivo na incidência de AVC entre os pacientes mais jovens, ao comparar com uma faixa etária semelhante antes da pandemia do coronavírus.

O professor Ronen Leker, da Universidade Hebraica de Jerusalém, participou da pesquisa junto com 89 pesquisadores de 136 instituições acadêmicas de várias partes do mundo. O estudo trabalhou com dados de pacientes com teste positivo após terem sido hospitalizados por acidente vascular cerebral e outros problemas cerebrais.

 Os pesquisadores procuraram se havia diferenças nas ressonâncias magnéticas após contrair Covid-19 e também depois do início do derrame. Além de examinar se havia fatores geográficos que impactaram a gravidade do derrame.

Em 32 países, dos 136 centros médicos diferentes, ao menos 71 relataram um paciente que teve um derrame durante sua hospitalização por coronavírus ou depois. Então, dos 432 pacientes, 323 tiveram acidente vascular cerebral isquêmico agudo, 91 hemorragia intracraniana e 18 trombose venosa ou sinusal cerebral.

O que mais chamou a atenção foi a alta ocorrência de AVC isquêmico em pacientes mais jovens e ainda sem nenhuma existência dos tipos de fatores de risco que contribuem para o AVC.

Você viu?

Do total de 380 pacientes que tiveram derrames, apenas 144 pacientes não apresentaram sintomas do vírus, como tosse e febre. O diagnóstico foi constato depois que as pessoas foram internadas no hospital por acidente vascular cerebral.

Segundo Leker, o estudo fortaleceu a compreensão da conexão entre o coronavírus e derrames em pacientes mais jovens “No futuro, recomendamos a realização de testes covid em todos os pacientes mais jovens com AVC, particularmente aqueles sem condições pré-existentes conhecidas. Tenho esperança e confiança de que este estudo será fundamental para fornecer uma melhor compreensão da ligação entre Covid-19 e acidente vascular cerebral e fornecer benefícios terapêuticos diretos aos pacientes”, concluiu.

Fonte: Medical Xpress

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários