Vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório Bharat Biotech
Divulgação/Bharat Biotech
Vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório Bharat Biotech

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vota nesta sexta-feira (4), às 14h, novos pedidos de liberação para importação e distribuição das vacinas contra Covid-19 Covaxin , fabricada pela empresa indiana Bharat Biotech, e Sputnik V , desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia.

Ambas haviam sido recusadas anteriormente por falta de dados que comprovassem boas práticas de fabricação. A indiana teve a importação negada em março, e a russa em abril.  

Quantidade de doses

No caso da Sputnik, o total de doses e a lista de estados não foi divulgada, no entanto, quatro estados já tem acordos firmados com o Gamaleya (Piauí, Amapá, Ceará e Maranhão). 

O pedido de liberação, desta vez, foi feito pelas secretarias de saúde de diferentes estados, com base na lei 14.124/2021, que abre espaço para que Anvisa faça a análise de vacinas sem registro ou uso emergencial no Brasil, mas aprovadas em alguns outros países, como Rússia e Índia. 

Para a Covaxin o pedido foi refeito pelo próprio Ministério da Saúde. O acordo prevê a importação de 20 milhões de doses, mas, precisa do aval da agência reguladora.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários