Estudo não aponta para necessidade de 3ª dose da Pfizer
Matheus Barros
Estudo não aponta para necessidade de 3ª dose da Pfizer


Segundo informações do site americano Stat News, a efetividade da Pfizer contra a Covid-19 cai de 96%, dois meses após a vacinação, para 84% depois de seis meses. Para chegar à conclusão, um estudo, ainda sem revisão por pares, foi realizado por pesquisadores das fabricantes e de outras instituições.

Participaram do estudo mais de 44 mil voluntários na Europa e nas Américas. De acordo com os resultados obtidos, a vacina da Pfizer teve 91% de eficácia na prevenção da Covid-19 de forma geral ao longo de seis meses.

O imunizante apresentou uma queda de 6% na prevenção de qualquer infecção por Covid-19, incluindo as que causam apenas sintomas leves, a cada dois meses. Contra formas graves da doença, a eficácia geral da vacina foi de 97%.

Para Paul Offit, pediatra e especialista em vacinas do Hospital Infantil da Filadélfia, os resultados foram "muito tranquiladores". Isso porque a eventual necessidade dose de reforço está relacionada ao número de pessoas totalmente vacinadas que desenvolvem quadros graves da doença. E, no estudo, esse número foi de apenas 3% após seis meses, o que indica que as duas doses da Pfizer oferecem proteção adequada, segundo Offit.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários