Queiroga na CPI
Foto: Senado Federal
Queiroga na CPI

O Ministério da Saúde antecipou o repasse de R$ 104,6 milhões para a atenção primária, a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), dos 155 municípios que decretaram estado de calamidade pública.

A medida foi oficializada nesta quarta-feira, 19, quando o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinou a portaria que adianta os recursos. Além do apoio financeiro, desde o início das enchentes, 182 novos profissionais vinculados ao Projeto Mais Médicos para o Brasil (PMMB) iniciaram suas atividades no estado.

Outra medida que possibilitou a ampliação do número de médicos nas cidades atingidas foi a publicação da Nota Técnica nº 171/2021, que permitiu o remanejamento dos profissionais bolsistas de outros municípios do estado.

"Desde que as chuvas se intensificaram no estado da Bahia e as enchentes afetaram milhares de famílias, o Ministério da Saúde tem auxiliado as autoridades sanitárias locais na assistência à população. Por isso, para reforçar a atuação das equipes de saúde que estão na linha de frente" , reforçou a pasta.

"O presidente nos convocou porque sabia que o estado da Bahia estava sendo atingido por uma das maiores tragédias naturais que aquele estado já enfrentou: enchentes de grandes proporções", afirmou o ministro.

Queiroga ainda disse que o enfrentamento da situação precisa ser tridimensional. "Primeiro, atender às necessidades das pessoas, depois dar assistência a quem precisa e reconstruir o que foi destruído pelas enchentes, os lares de nossos amigos brasileiros que perderam tudo" , afirmou relembrando outras ações adotadas pela pasta no suporte às famílias, como envio de recursos, kits desastres, vacinas, medicamentos e outros insumos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários