O Ministério da Saúde estendeu a dose de reforço para os jovens de 12 a 17 anos que são imunocomprometidos.
Pixabay
O Ministério da Saúde estendeu a dose de reforço para os jovens de 12 a 17 anos que são imunocomprometidos.

O Ministério da Saúde estendeu a dose de reforço para os jovens de 12 a 17 anos que são imunocomprometidos. Nesse grupo prioritário, estão incluídos pacientes em quimioterapia, em hemodiálise, que passaram por transplante de órgãos ou de células-tronco e que têm HIV ou aids. A medida também vale para gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias pós-parto) dessa faixa etária.

Com isso, a pasta define que o esquema vacinal de adolescentes imunodeprimidos passa a ser de três doses, com oito semanas (dois meses) entre cada uma. A quarta dose — ou reforço — deve ser aplicada, então, após doze semanas (três meses). A decisão foi publicada em nota técnica, documento que orienta estados e municípios para adotarem a medida.

Segundo a pasta, apenas a Pfizer deve ser administrada nesse grupo. A liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para CoronaVac em crianças e jovens de 6 a 17 anos não inclui imunocomprometidos.

Vacina da Janssen

O ministério decidiu adotar mais uma dose para a vacina da Janssen. Adultos que tomaram o imunizante de dose única devem receber um reforço da mesma vacina oito semanas (dois meses) após primeira dose, como anunciado em novembro. Depois, orienta a aplicação de outro reforço, preferencialmente com Pfizer, com 16 semanas (quatro meses) de intervalo.

Em entrevista à imprensa em novembro, Queiroga anunciou que a Janssen teria duas doses mais reforço. A pasta, no entanto, voltou atrás dias depois ao definir que quem tomou essa vacina deveria receber só mais uma dose, do mesmo imunizante.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários