Aeroporto
Reprodução
Aeroporto

A Austrália reabriu totalmente, nesta segunda-feira, suas fronteiras internacionais para viajantes vacinados contra o coronavírus após quase dois anos de fechamentos relacionados à pandemia, com o retorno de turistas e centenas de pessoas que poderão voltar a se reunir com parentes e amigos.

Mais de 50 voos internacionais chegaram ao país ao longo do dia, incluindo 27 pousando em Sydney, sua maior cidade, enquanto os setores de turismo e hospitalidade buscam se reconstruir após serem atingidos pelas restrições da Covid-19.

A partir de agora, turistas com dose dupla da vacina não precisam mais ficar em quarentena, mas os viajantes não vacinados devem fazê-la em um hotel por até 14 dias, às suas próprias custas.

Além disso, turistas podem entrar em todos os seis estados, exceto na Austrália Ocidental, que permanece fechada até o dia 3 de março e exigirá três doses completas do imunizante.

— É um dia muito emocionante, pelo qual anseio há muito tempo, desde o dia em que fechei a fronteira logo no início da pandemia — disse o primeiro-ministro Scott Morrison a repórteres no estado insular da Tasmânia, que depende fortemente do turismo.

Depois de ficar longe dos entes queridos por meses, houve muitos reencontros emocionados, inclusive para Cindy Moss, que viajou do estado americano de Kentucky para ver sua filha.

— Eu não a vejo há tanto tempo e foi uma coisa tão importante poder vir aqui. Então, estou tão animada — disse ela depois de abraçar a filha, sua voz embargada de emoção.

O turismo é uma das maiores indústrias da Austrália, gerando mais de US$ 43 bilhões por ano e empregando cerca de 5% da força de trabalho do país. Mas o setor foi prejudicado após o fechamento das fronteiras em março de 2020.

Leia Também

Uma vez campeã da estratégia de controle da Covid-19, a Austrália se afastou das restrições rígidas e dos bloqueios implacáveis desde o final do ano passado e começou a viver com o vírus depois de atingir níveis mais altos de vacinação. Imigrantes qualificados, estudantes internacionais e mochileiros foram autorizados a voar para a Austrália desde novembro, em um exercício de reabertura escalonado.

Em festa

Os passageiros que chegaram a Sydney foram recebidos com os dizeres “Bem-vindo de volta, mundo!” pintado em uma placa perto das passarelas enquanto pessoas em fantasias de canguru recebiam os viajantes e um DJ tocava música de uma van enfeitada com uma faixa dizendo “Valeu a pena esperar por você”.

— É uma festa aqui fora, música tocando, sorrisos no rosto das pessoas, eles estarão dançando em breve, tenho certeza — disse o ministro do Turismo, Dan Tehan, à emissora ABC do aeroporto de Sydney, enquanto dava aos viajantes potes de Vegemite, uma comida australiana icônica, e coalas de pelúcia.

Tehan disse estar esperançoso por uma recuperação “muito forte” no mercado de turismo, com a Qantas, a principal companhia aérea nacional, procurando levar mais de 14 mil passageiros para a Austrália nesta semana. A Virgin Australia disse estar vendo tendências positivas nas reservas domésticas e continuou avaliando a demanda por voos internacionais.

Enquanto isso, todos as as viagens de trem em Sydney foram cancelados na segunda-feira após disputas salariais entre o sindicato e o governo estadual, tirando um pouco do brilho da reabertura.

À medida que as fronteiras reabrem totalmente, o surto da variante de coronavírus Ômicron na Austrália parece ter ultrapassado seu pico, com internações hospitalares caindo constantemente nas últimas três semanas. A maior parte do total da pandemia da Austrália, de cerca de 2,7 milhões de casos confirmados, foi detectada desde o surgimento da Ômicron no final de novembro. O total de mortes foi de 4.929.

Pouco mais de 17 mil novos casos e 17 mortes foram registrados até o meio-dia de segunda-feira, com os números do Território do Norte a serem divulgados posteriormente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários