Fachada do prédio da Anvisa
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Fachada do prédio da Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu pedido para o registro definitivo da vacina Convidecia contra a Covid-19, fabricada pela CanSino Biologics Inc, do Instituto de Biotecnologia de Pequim. A agência informou que, inicialmente, o processo era para a autorização de uso emergencial, mas a biofarmacêutica brasileira Biomm, representante dela no Brasil, solicitou a mudança. Dessa forma, a agência encerrou e alterou para o procedimento de submissão contínua.

A autorização de uso emergencial para vacinas contra a Covid-19 no Brasil é válida somente durante o período de emergência em saúde pública de importância nacional, reconhecido pelo Ministério da Saúde. Em contrapartida, ao obter o registro sanitário do produto junto à Anvisa, o fabricante recebe autorização para que o imunizante seja utilizado de forma definitiva nos sistemas público e privado.

"A submissão contínua é um processo criado pela agência durante a pandemia que permite ao laboratório apresentar dados e documentos em etapas, à medida que o trabalho de pesquisa e desenvolvimento vai sendo realizado", afirmou a Anvisa.

A empresa Biomm deve continuar a interlocução com a Anvisa, submeter os dados e estudos restantes à Agência e, posteriormente, solicitar o registro sanitário. O pedido de uso emergencial da Biomm havia sido apresentado no dia 8 de novembro de 2021.

"A migração do pedido considera o contexto atual da pandemia, como o avanço da vacinação e a ampliação das faixas etárias, bem como a possibilidade de contribuir com a imunização dos brasileiros de forma contínua e definitiva", disse a biofarmacêutica brasileira.

Leia Também

A Convidecia é uma vacina contra o coronavírus recombinante (vetor de adenovírus tipo 5), baseada em uma plataforma de vetor de adenovírus humano tipo 5 não recombinante madura.

Com aplicação em dose única e armazenamento em geladeira comum (entre 2 e 8 graus Celsius), o imunizante vem sendo adotado por diversos mercados, com aprovações em países como México, Paquistão, Hungria, Chile, Equador, Argentina, Quirguistão, Malásia e Indonésia. O imunizante é recomendado para ser administrado em pessoas a partir dos 18 anos de idade.

O reforço com Convidecia após receber duas doses de vacina inativada demonstrou um aumento de pelo menos 78 vezes nos níveis médios de anticorpos neutralizantes. O reforço com a mesma vacina inativada aumentou 15,2 vezes. O uso de Convidecia como segunda dose após receber uma dose de vacina inativada demonstrou um aumento de pelo menos 25,7 vezes no anticorpo neutralizante, enquanto o uso de vacina inativada como segunda dose induz apenas um aumento de 6,2 vezes, conforme publicado pela revista Nature Medicine em janeiro passado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários