Criança recebe dose de vacina contra pólio e sarampo
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Criança recebe dose de vacina contra pólio e sarampo

O Estado de São Paulo confirmou recentemente um caso de sarampo em um bebê de um ano e investiga outros 25 possíveis diagnósticos em meio a um risco de surto devido à queda na cobertura vacinal. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), apenas 75% das crianças parte do público-alvo foram imunizadas em 2021, 20% a menos que a meta de 95%.

O caso confirmado em fevereiro foi de um bebê ainda não vacinado e chamado autóctone, quando a contaminação é realizada no local e não por transmissão ou em outra região. Não foi relatado óbito.

Procurada, a SES ressaltou que apenas um diagnóstico foi detectado no estado neste ano, mas há outros 25 sob análise. Em nota, a secretaria reforçou a importância da vacinação e lembrou que há no momento uma campanha em andamento para frear o vírus.

“Desde 4 de abril a imunização está voltada aos profissionais da saúde e, a partir de 3 de maio, serão vacinadas crianças de 6 meses a menores de 5 anos”, informou a SES.

No estado, o público-alvo infantil engloba 12,9 milhões de crianças. A vacina tríplice viral, que protege não só do sarampo, como de caxumba e rubéola, faz parte do Programa Nacional de Imunização (PNI) e é aplicada nos postos de saúde.

Sarampo no Brasil

Depois de ter sido erradicado no país, em 2016, o sarampo voltou a provocar casos a partir de 2017, levando a um surto em 2019 com quase 21 mil diagnósticos confirmados apenas naquele ano, segundo informações da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde.

Leia Também

Em 2020, com as medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19, os casos de sarampo também ficaram sob controle, saindo de 2.475 diagnósticos no mês de março para uma média de 68 por mês a partir de maio até o fim do ano. A doença teve sua incidência reduzida até chegar a dezembro de 2021, quando foi registrado apenas um caso em todo o país naquele mês.

Ao todo, em 2021, foram registrados apenas dois óbitos por sarampo no Brasil, ambos no estado do Amapá. Um de uma criança de 7 meses, sem comorbidades e que não havia sido vacinada, e o outro de um bebê de 4 meses, que a imunização não era indicada por ser menor que 6 meses de vida.

Baixa vacinação preocupa

Desde então, o sarampo permanece com números baixos. Porém, especialistas temem que a baixa cobertura vacinal leve a novos surtos da doença. Em 2021, apenas 50,1% do público-alvo no Brasil recebeu a segunda dose da vacina da tríplice viral. A informação é parte de um levantamento feito pela pesquisadora de políticas públicas Marina Bozzetto, da Universidade de São Paulo (USP), a pedido do GLOBO, com base em dados do Ministério da Saúde.

A Secretaria de Vigilância em Saúde, do ministério, orienta que “cada município deve estabelecer estratégias, considerando ampliar as coberturas vacinais, no intuito de atingir a meta de pelo menos 95% de cobertura para as doses 1 e 2 da vacina tríplice viral, de forma homogênea”.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários