Profissionais da Saúde e da Educação da capital contam agora com um guia de apoio
Pixabay
Profissionais da Saúde e da Educação da capital contam agora com um guia de apoio

Profissionais da Saúde e da Educação da  capital paulista contam agora com um guia de apoio para fortalecer a organização, o planejamento e o engajamento de ações do Programa Saúde na Escola (PSE) relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

O material Cuidando de Todos na Escola foi lançado na terça-feira (26) durante um evento online que reuniu representantes das secretarias municipais da Saúde e da Educação, interlocutores das Diretorias Regionais de Educação (DREs), das Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) e Supervisões Técnicas de Saúde (STSs).

São orientações e recomendações sobre boas práticas para o trabalho intersetorial entre as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e as escolas. Elas têm o objetivo de apontar políticas públicas e documentos oficiais que norteiam a conduta na aplicação das diretrizes do PSE. Além disso, o documento incorpora as diretrizes oficiais utilizadas pela rede municipal de saúde.

"As diretrizes do município para as doenças crônicas não transmissíveis têm como objetivo tornar São Paulo uma cidade com mais qualidade de vida. Isso se conecta com os impactos que podem ser gerados nas comunidades escolares. Portanto, a escola é uma importante aliada na construção de uma cidade saudável", afirma Karina Mauro Dib, responsável técnica da Área de DCNT da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

Athene Maria Marco França Mauro, responsável pela área técnica da Criança e do Adolescente da SMS, explica que as DCNTs podem ser prevenidas e tratadas com a adoção de hábitos saudáveis. "É importante que crianças e adolescentes sejam incentivados desde já a adotarem essas práticas, pois isso aumenta as chances de elas perdurarem no futuro. Por isso, este tipo de iniciativa pode impactar a população de forma muito positiva."

Entre as abordagens sugeridas no enfrentamento às DCNTs estão a promoção de práticas corporais, atividade física e de lazer, da cultura de paz, cidadania, direitos humanos, além da alimentação saudável e prevenção à obesidade infantil. O material pode ser consultado aqui .

Leia Também

A proposta das pastas envolvidas para que as ações norteadas pelo guia sejam executadas de forma gradual durante todo o ano letivo, respeitando a agenda e as necessidades de cada território.

Para isso, devem ser seguidas as seguintes etapas: articulação entre a Secretaria Municipal da Educação (SME) e a SMS; avaliação clínica realizada pela SMS (pesquisa inicial com a comunidade escolar); reunião de trabalho com os resultados dos testes levantados pela SMS e definição de calendário; lançamento das atividades e dos desafios de prevenção e promoção à saúde; avaliação final (pesquisa final com a comunidade escolar); reunião de trabalho final e geração de relatórios; celebração de resultados e projeções futuras.

A construção desse recurso didático se deu entre os anos de 2019 e 2020 a partir de experiências bem-sucedidas do programa CEU Amigo do Coração, uma parceria entre a Coordenadoria dos Centros Educacionais Unificados da SME e o Programa Cuidando de Todos/Cuidando do Seu Coração - iniciativa compartilhada entre a SMS, a Fundação Novartis e o Instituto Tellus.

"Esperamos que esta ferramenta seja capaz de incentivar as equipes a colocar em prática ações previstas, integrando saúde e educação e, dessa forma, contribuir com os objetivos do PSE", diz a assistente técnico educacional da SME, Márcia Matsushita.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários