Dr. Alessandro Giardini e sua família
Foto: NHS Blood and Transplant
Dr. Alessandro Giardini e sua família

O cardiologista Alessandro Giardini, que quase morreu após contrair o novo coronavírus (Sars-CoV-2) no Reino Unido, foi identificado como um super doador de anticorpo, já que o plasma sanguíneo pode aumentar significativamente as chances de sobrevivência de outros pacientes. A informação foi divuglada do jornal inglês Telegraph.

Covid-19: Testes com plasma podem ter resultado em breve, diz especialista

De acordo com a publicação, Alessandro Giardini, 46 anos, cardiologista de um hospital infantil de Londres (Great Ormond Street), passou sete dias internado com um ventilador e agora tem 40 vezes mais anticorpos que um paciente normal da Covid-19.

O médico descreveu o tempo que passou no hospital como uma "experiência muito difícil", pois não sabia se veria novamente a esposa e os dois filhos, segundo o 'The Telegraph'. Mas, depois de se recuperar, sentiu vontade de "devolver algo" doando o plasma para ajudar outros pacientes. 

Flexibilização do isolamento em SP: veja quais serviços devem reabrir primeiro

Os níveis de anticorpos do cardiologista foram descobertos durante um estudo que analisou o sangue de mais de 400 pacientes recuperados. 

O médico, que trabalha no sistema público de Saúde do Reino Unido (NHS), agora lidera uma campanha que incentiva outros pacientes que se recuperaram da Covid-19 a doarem o plasma sanguíneo.

Os resultados permitiram ao NHS Blood and Transplant (NHSBT) identificar como seus principais candidatos à doação homens acima de 35 anos que estavam doentes o suficiente para necessitar de tratamento hospitalar. Mesmo pacientes com níveis muito mais baixos de anticorpos poderiam beneficiar outros.

    Veja Também

      Mostrar mais