SAMU
Divulgação
SAMU

Entre julho e a primeira quinzena de agosto as chamadas de atendimentos de urgência devido ao novo coronavírus caíram em 34% em Teresina, no Piauí. De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da região foram registrados apenas 291 casos da doença este mês, enquanto no mesmo período de julho houveram 439 atendimentos.


Em entrevista ao G1, a enfermeira do SAMU Tânia Ferreira afirmou que a redução reflete uma melhora significativa na demanda e no trabalho dos profissionais de saúde , que seguem protocolos rígidos ao atender pacientes com o novo coronavírus (Sars-CoV-2) ou apenas a suspeita.

A profissional do SAMU explicou que durante o pico da pandemia o trabalho aumentou e o estresse era alto. Ela relata: "Alguns trabalhadores se afastaram por serem do grupo de risco. Os que ficaram assumiram os plantões e tiveram jornadas duplicadas, triplicadas para cobrir o serviço. Era cansativo fisicamente e mentalmente. Alguns até passavam mal”.

Cuidados reforçados

De acordo com Tânia, os protocolos de segurança continuam mesmo com a diminuição dos casos de Covid-19 na região. Para proteger os familiares, os profissionais de urgência se higienizam com frequência.

“Tomamos banho aqui [na sede do Samu] antes de sair e tomamos banho quando chegamos em casa. Ficamos isolados da família para evitar levar alguma contaminação”, contou ao G1.

Vítima da pandemia

Diretor clínico do SAMU de Teresina, José Ivaldo de Oliveira foi mais uma das vítimas do novo coronavírus. Apesar de não apresentar comorbidades que pudessem agravar a doença, o médico morreu no dia 31 de julho, deixando um legado para seus colegas e família, segundo Tânia.

Médico urgentista Ivaldo de Oliveira morre vítima de Covid-19 em Teresina
Divulgação/ Samu
Médico urgentista Ivaldo de Oliveira morre vítima de Covid-19 em Teresina



    Veja Também

      Mostrar mais