Casos de Covid crescem e governo de Portugal aprova novas medidas de restrição
Foto: Agência Brasil
Casos de Covid crescem e governo de Portugal aprova novas medidas de restrição

A segunda onda da pandemia de Covid-19 na Europa levou Portugal a decretar o status de "situação de calamidade", a partir da meia-noite desta quinta-feira (15). O país passa a adotar medidas mais rígidas de isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus (Sars-Cov-2) em seu território.

Segundo informações do jornal "Público", o governo português passará a exigir máscara na rua e limitar as aglomerações em cinco pessoas em lojas, restaurantes e vias públicas.

Nos casamentos e outras celebrações pessoais, serão permitidos até 50 convidados. A situação de calamidade será mantida por pelo menos 15 dias após a quinta-feira. 

"Infelizmente, Portugal não é exceção, e podemos classificar a evolução da pandemia no nosso país como uma evolução grave", declarou o primeiro-ministro António Costa, em Lisboa.

Até esta quarta-feira (14), Portugal registrava 89.121 casos confirmados e 2.110 mortes, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Na terça-feira (13) foram 1,2 mil casos, sendo que o recorde de casos confirmados ocorreu na semana anterior, quando foram registrados 1.646 casos.

Situação na Europa

A decisão não é isolada: outros países europeus também impuseram novas regras para tentar conter uma segunda onda de infecções.

França anunciou o restabelecimento do estado de emergência a partir de sábado (17). O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou nesta quarta-feira (14) que nove cidades da França terão um toque de recolher noturno a partir do dia 17.

Na capital Paris, Marseille, Lyon, Lille, Aix-en-Provence, Rouen, Toulouse, Grenoble e Montpellier, só estão permitidas saídas essenciais das 21h até as 6h da manhã do dia seguinte.

Restaurentes fecharão as portas e encontros em casas de amigos estão proibidos. Ainda segundo Macron, o descumprimento do toque de recolher levará a uma multa € 135 (R$ 887).

Itália endurece restrições para conter alta da Covid-19

A Itália registrou nesta quarta-feira (14) o maior número de casos do Sars-CoV-2 em 24 horas desde o início da pandemia. De acordo com dados do Ministério da Saúde do país, mais de 7.300 pessoas foram diagnosticadas com a doença nas últimas 24 horas.

O boletim supera as 6.557 infecções confirmadas em 21 de março, maior marca até então.

Na terça-feira (13), o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, impôs  novas restrições a reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares em uma tentativa de desacelerar o crescente aumento nas infecções pelo novo coronavírus.

O decreto também aconselha o uso de máscaras, que já é obrigatório ao ar livre e em prédios públicos, também dentro de casa, quando membros de fora da família estiverem presentes. Restaurantes e bares podem ficar abertos até meia-noite para serviço de mesa.

Multa no Reino Unido

Vivendo a segunda onda de transmissão do novo coronavírus, o  Reino Unido anunciou no dia 19 de setembro novas medidas de controle que buscam minimizar o aumento de casos da Covid-19.

Entre as medidas, há a possibilidade de multa de até 10.000 libras esterlinas a quem não cumprir o autoconfinamento em caso de contágio pelo vírus. De acordo com a atual cotação da libra, a multa pode chegar a até R$ 69,6 mil.

    Veja Também

      Mostrar mais