Presidente russo garantiu que duas vacinas são “seguras” e que os ensaios confirmaram que não têm efeitos secundários
Foto: Alexei Druzhinin/Sputnik
Presidente russo garantiu que duas vacinas são “seguras” e que os ensaios confirmaram que não têm efeitos secundários

Vladimir Putin, presidente da Rússia,  garantiu hoje (10) que todas as vacinas contra a Covid-19 em desenvolvimento na Rússia são eficazes, acrescentando que há uma "terceira" que está muito perto de ser registada.

O presidente russo disse estar disposto a cooperar "com qualquer país do mundo" no que toca às vacinas, mas não quer que haja uma "politização" do processo.

Em uma videoconferência com a Organização para a Cooperação de Xangai (SCO), Putin falou sobre a eficácia de duas vacinas e mencionou a existência de uma terceira.

"Temos duas vacinas registadas na Rússia e os testes já confirmaram que as vacinas são seguras, não há efeitos sefundários e são eficazes. Uma terceira vacina está em preparação. Elas são eficazes, as pessoas que foram vacinadas e que tiveram contato com pessoas que contraíram o coronavírus não o contraíram ou apresentam apenas sintomas leves", disse.

A declaração surge um dia depois da  farmacêutica norte-americana Pfizer anunciar que a sua vacina contra a covid-19 alcançou 90% de eficácia nos testes.

Na segunda-feira (9), Alexander Gintsburg, diretor do Instituto Gamaleya de Moscou, disse que recebeu a notícia da Pfizer. "Em um futuro próximo, esperamos publicar os resultados provisórios do ensaio pós-registro da vacina Sputnik V, os chamados ensaios de Fase 3. Tenho certeza que seu nível de eficácia também será alto", disse.

De acordo com Gintsburg, a Rússia está se preparando para publicar os resultados preliminares de um ensaio em larga escala com voluntários humanos da fase 3. 

O país está testando a vacina em 40 mil pessoas, todas em Moscou. Segundo o coronograma russo para a distribuição dos imunizantes, a partir de janeiro devem ser enviadas as primeiras remessas com as doses das vacinas para países da América Latina.

Em 2021, o Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) espera produzir 1,2 bilhão de doses da Sputnik V, sendo 230 milhões somente para a América Latina — o que inclui o Brasil.

    Veja Também

      Mostrar mais