Olhar Digital

undefined
Redação Olhar Digital
'Gene dentro de outro gene' é identificado no Sars-Cov-2

Um grupo internacional de pesquisadores descobriu que o Sars-Cov-2, vírus responsável por causar a Covid-19, possui um “gene dentro de outro gene”. O organismo recém-identificado foi chamado de ORF3d e pode causar sérios problemas considerando que ele oferece um ponto cego nos estudos do novo coronavírus.

A conclusão das análises foi publicada na eLife.Inicialmente, é preciso entender o que é um gene de sobreposição. Trata-se de um tipo de gene que está efetivamente oculto dentro de outro gene em uma sequência de nucleotídeos. Nestes casos, os organismos ficam escondidos por conta da maneira como se sobrepõem às sequências codificadas de outros genes.Organismos desta natureza são difíceis de detectar em uma sequência genética.

Sistemas de varredura de código genético, normalmente, são programados apenas para identificar genes individuais. Esta caraterística faz com que, muitas vezes, os rastreamentos percam genes de sobreposição.

Pesquisadores descobriram gene escondido dentro de outro gene no Sars-Cov-2. Mas na verdade, vírus como o causador da Covid estão propensos a hospedar genes desta natureza, então a descoberta não é exatamente inovadora.

O ponto é que não se sabe realmente que truque genômico o ORF3d pode fazer, e é isto que preocupa os pesquisadores."Em termos de tamanho do genoma, o Sars-Cov-2 e seus parentes estão entre os vírus de RNA mais longos que existem", afirmou o bioinformático Chase Nelson, do Museu Americano de História Natural.

"Eles são, portanto, talvez mais propensos a 'truques genômicos' do que outros vírus de RNA", explicou Nelson.Vale lembrar que o ORF3d já havia sido identificado antes por meio de uma varredura em bancos de dados genômicos. Os pesquisadores afirmam que o organismo foi identificado anteriormente em uma variante do coronavírus que afeta os pangolins, encontrados em Guangxi, na China.Antes, ele também foi classificado de forma errada como um gene não relacionado, o ORF3b, que está presente em outros coronavírus, incluindo Sars-Cov, mas eles não são realmente a mesma coisa.

"Os dois genes não estão relacionados e codificam proteínas totalmente diferentes. Isso significa que o conhecimento sobre o Sars-Cov ORF3b não deve ser aplicado ao Sars-Cov-2 ORF3d", destaca Nelson.Impactos da descobertaDescobrir que o Sars-Cov-2 hospeda um “gene dentro de outro gene” pode ser extremamente prejudicial no contexto da pandemia, isto porque o aspecto faz com que alguns pontos do vírus fiquem cegos aos pesquisadores. "A falta de genes sobrepostos nos coloca em risco de ignorar aspectos importantes da biologia viral", disse o bioinformático.

"A sobreposição de genes pode ser uma das maneiras pelas quais os coronavírus evoluíram para se replicar com eficiência, impedir a imunidade do hospedeiro ou serem transmitidos", salientou.ReproduçãoA descoberta cria um ponto cego nas pesquisas relacionadas ao vírus até agora.

Ainda é preciso aprofundas os estudos sobre o ORF3d, mas uma coisa já é certa: com base em exames de sangue anteriores com pacientes humanos positivados para Covid-19, o organismo é uma forte resposta de anticorpos.

De qualquer forma, respostas sobre como células T poderiam ser ativadas neste caso ainda não apareceram. "Ainda não sabemos sua função ou se há significado clínico. Mas prevemos que é relativamente improvável que esse gene seja detectado por uma resposta de células T, em contraste com a resposta de anticorpos.

E talvez isso tenha algo a ver com como o gene foi capaz de surgir", falou Nelson.Acima de tudo, a descoberta é válida considerando que o vírus possui apenas 15 genes conhecidos, por isso, a descoberta de outro, ainda mais sendo ele um gene sobreposto, representa um desenvolvimento significativo.

    Veja Também

      Mostrar mais