Coronavac
Fotoarena / Agência O Globo
Vacina Coronavac, desenvolvida pela Sinovac, contra a Covid-19

O secretário estadual de saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, criticou "o perfil de vacinas desejadas" pelo Ministério da Saúde, que afirmou preferir imunizantes de apenas dose única. Entre as vacinas experimentais que demandam duas doses para a imunização completa contra a Covid-19, está a CoronaVac, que recebe apoio do governo de São Paulo.

Todos os protocolos mostram que duas doses oferecem um reforço vacinal que mantém a imunidade por um tempo mais prolongado. Nós não podemos burlar o que diz o estudo e é isso que nós temos que pautar", afirmou o secrtário, após questionamento da repórter Eduarda Esteves, do iG.

Ainda segundo Gorinchteyn, discussões dessa natureza "causam o distanciamento da prevenção da doença" e podem agravar ainda mais os efeitos da pandemia no Brasil, que está entre os países com maior número de infectados pelo coronavírus no mundo.

A declaração sobre o perfil das vacinas foi feito ontem, quarta-feira (2), pelo secretário de vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, que também afirmou que a pasta dará preferência para imunizantes com complicações de logística como a vacina Pfizer, que demanda um armazenamento em temperaturas de até -70º C.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários