Novas variantes do coronavírus se mostram mais resistentes e adaptáveis
Pixabay/Creative Commons
Novas variantes do coronavírus se mostram mais resistentes e adaptáveis

A variante britânica do coronavírus, que já preocupava o mundo por apresentar características de contágio mais rápido, se mostra uma ameaça ainda maior após estudo que afirma que o vírus pode ser entre 30% e 100% mais fatal do que as linhangens anteriores causadoras da Covid-19.

O estudo, realizado no Reino Unido, compara índices de mortalidade entre pessoas infectadas com a variante e pessoas infectadas no início da pandemia, com outras linhagens. O índice, porém, combina a capacidade de disseminação do vírus à resistência aos anticorpos.

A amostragem para a pesquisa foi de 54,9 mil pacientes. A publicação foi divulgada nesta quarta-feira no periódico científico British Medical Journal.

Conhecida como B.1.1.7, a linhagem já foi detectada em mais de 100 países, entre os quais o Brasil. A variante possui 23 mutações identificadas em seu código genético, o que representa adaptações para possibilitar maior resistência do vírus às investidas contra ele. Segundo outra pesquisa realizada no Reino Unido, o vírus pode ser até 70% mais transmissível que outras variantes em circulação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários