Conheça detalhes sobre o corticoide dexametasona, que ajuda no tratamento de pacientes intubados
Silvio Avila
Conheça detalhes sobre o corticoide dexametasona, que ajuda no tratamento de pacientes intubados

O uso caseiro do medicamento dexametasona para o tratamento de casos leves e moderados de Covid-19 pode causar agravamento no estado de saúde do paciente, segundo o médico Dr. Felipe Bueno, consultado pela reportagem do iG Saúde. 

 “Se a dexametasona for utilizada sem a necessidade de oxigênio , ou seja, em casos leves, ela pode ser prejudicial ”, afirma o médico que faz acompanhamento de pacientes com Covid-19 em Curitiba (PR). “Quando utilizada com oxigênio, seja na enfermaria ou na UTI , ajuda no tratamento ”. 

Ainda em 2020, estudos conduzidos pela Universidade de Oxford comprovaram que o medicamento dexametasona foi capaz de reduzir em 30% as mortes de pacientes internados em estado grave . Para casos moderados e leves , o corticoide não demonstrou eficácia. A reportagem do iG Saúde consultou duas pessoas que tiveram experiência com a dexametasona durante o tratamento da Covid-19 .

Relatos

A professora Andressa Ramos, 26, afirmou que teve problemas após receber dose pequena do medicamento para tratar de um caso leve , conforme indicação do médico. “Doze horas depois de ter tomado a dexametasona no hospital, tive uma reação muito forte. Braços e pernas começaram a formigar. Não conseguia andar ”, diz a professora. 

“Voltei para o hospital e tomei dois litros de soro na veia para eliminar a medicação dos rins aos poucos . Quando cheguei em casa, as pernas ainda estavam molengas . Oitavo dia com o coronavírus e seguimos lutando”, conta. 

A dexametasona também foi receitada a um paciente de 55 anos cujo a filha pediu para ter a identidade preservada. Ele estava se tratando da Covid-19 em casa, seguindo o cronograma de medicação que recebeu no hospital. Segundo sua filha, o quadro teve agravamento após o uso do medicamento .

Você viu?

“Ele estava em casa se recuperando bem da Covid-19 . Estávamos conversando e assistindo séries. Quando ele tomou o corticoide, piorou muito ”, conta. “Quando ele retornou ao hospital, recebeu aplicação de soro na veia para retirar o remédio do sangue, Agora ele está intubado com quadro grave ”. 

Ainda não há indícios de que a dexametasona tenha motivado o agravamento do paciente . O corticóide também foi receitado para a mãe da fonte anônima, que teve até 20% do pulmão tomado pela doença. “Ela sente cansaço e ainda aguarda o retorno do olfato e do paladar. O médico receitou dexametasona e mandou ela pra casa”. 

Alta letalidade hospitalar

O médico Ricardo Parolin fez uma publicação em que relaciona a alta letalidade hospitalar , entre outros fatores, ao uso errôneo da dexametasona . “Existem indícios de que usar corticóides como dexametasona e prednisona na fase precoce da doença está associado a piores desfechos”, afirma. 

O especialista também alega que tratamentos inadequados de doenças de base para o agravamento da Covid-19, como hipertensão , diabetes e doença pulmonar crônica , podem estar relacionados à alta de mortes. 

Na avaliação do médico, faltam intensivistas qualificados para atender todos os pacientes com Covid-19  que não param de chegar aos hospitais de todo o Brasil. “O profissional experiente no manejo de um paciente que vai ser intubado fez mais de quatro anos de residência após terminar o curso de medicina. Com tantos pacientes internados, nem todos são atendidos por esses profissionais ”, diz Parolin. 

A reportagem do iG Saúde entrou em contato com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para consultar diretrizes de tratamento com dexametasona para pacientes com casos leves e moderados de Covid-19 . Até o momento da publicação desta matéria, o portal não obteve respostas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários