Universidade do Ceará vai testar vacina em humanos
Foto: Manuella Brandolff/ Palácio Piratini
Universidade do Ceará vai testar vacina em humanos

A Universidade Estadual do Ceará (UECE) está desenvolvendo sua própria vacina contra a Covid-19 . O desenvolvimento do imunizante, chamado HH-120-Defenser, está ocorrendo desde abril do ano passado.

Agora, as pesquisas chegaram em uma nova etapa: a realização de testes em humanos. A universidade vai entrar com o processo de liberação junto à Anvisa para começar esta etapa de pesquisas. Segundo a instituição, a primeira fase da pesquisa, com testes em camundongos, foi realizada com sucesso.

Assim que aprovada pela Anvisa, a fase clínica se dividirá em três etapas. Na primeira, o imunizante será administrado em cerca de 100 voluntários adultos, com idades entre 18 e 60 anos, que sejam saúdáveis. A seguir, serão incluídas pessoas com comorbidades. Naa Fase 3, os testes incluirão milhares de pessoas, com diversos perfis e caracteristicas.

Como o imunizante é feito?

A proposta desta vacina é usar um coronavírus aviário atenuado (enfraquecido), já conhecido há década e sem nenhum tipo de risco para humanos. Segundo os pesquisadores, o principal motivo da escolha dessa cepa de coronavírus é por ser muito parecida com o SARS-CoV-2.

Além disso, este imunizante promete ter um baixo custo de produção. Em um comunicado, o pesquisador Ney Carvalho explica que a concentração de vírus vacinal proposta em cada dose é suficiente para que um frasco, comprado por R$ 11 possa conter 250 doses da vacina. Cada dose da CoronaVac, por exemplo, custa, em média, R$ 16.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários