14 mil brasileiros teriam sido salvos com a vacina da farmacêutica norte-americana
Reprodução: iG Minas Gerais
14 mil brasileiros teriam sido salvos com a vacina da farmacêutica norte-americana

Ao recusar as ofertas de vacinas contra o novo coronavírus oferecidas pela farmacêutica norte-americana Pfizer , o Brasil perdeu 14 mil mortes por covid que poderiam ter sido evitadas, de acordo com o cálculo foi realizado pelo epidemiologista Pedro Hallal. As informações são da Folha de S.Paulo.

A conta realizada pelo médico "estima que 14 mil óbitos poderiam ter deixado de ocorrer considerando uma margem de erro que varia de 5.000 a 25 mil óbitos, chamado intervalo de confiança, caso essas doses tivessem sido adquiridas."

A pesquisa baseia-se nos seguintes parâmetros: um terço da população com anticorpos, letalidade do coronavírus na população brasileira de 1% e eficácia de 94% do imunizante.

Ao todo, de acordo com o representante da Pfizer no Brasil, Carlos Murillo, foram ignoradas ao menos cinco ofertas de vacinas - de 70 milhões de doses - por parte do governo federal.

Você viu?

Até o momento, foram entregues cerca de 2,2 milhões de doses da vacina. Caso o contrato oferecido - que foi ignorado - tivesse sido aceito pelo governo Bolsonaro , o Brasil teria hoje 4,5 milhões de doses em solo nacional.


O acordo fechado em março deste ano prevê a chegada de 14 milhões de vacinas no segundo trimestre e 86 milhões no segundo trimestre. A oferta inicial da farmacêutica norte-americana previa a entrega de 1,5 milhões de doses em 2020, 3 milhões no primeiro trimeste deste ano, 14 milhões no segundo trimestre e 51,5 no terceiro e quatro trimestre de 2021.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários