Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde de São Paulo, vê a medida como preventiva
Foto: Reprodução/Prefeitura de SP
Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde de São Paulo, vê a medida como preventiva

A cidade de São Paulo, através da Prefeitura Municipal , iniciou um estudo sorológico que visa identificar quais cepas estão em circulação no município. Objetivo é analisar se a variante da Índia chegou à capital paulista.

A pesquisa será realizada em conjunto com a Universidade de São Paulo (USP) e o Instituto Butantan.

Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde , classificou a medida como preventiva já que não há casos suspeitos no município. "O estudo detecta o sequenciamento genético do genoma de todas elas, mas, sobretudo, a preocupação é identificarmos a indiana."

Aparecido afirmou que o estudo será necessário para que a prefeitura se prepare e detecte todas as cepas e variantes presentes. Não haverá limite para coleta, já que testes PRC da covid-19 são recolhidos e enviados ao Butantan para análise.

"Vocês têm notícia do navio que atracou no Maranhão com três casos [da variante indiana] constatados pela Vigilância Sanitária do Maranhão e também já confirmados na Argentina, que é muito próxima. Então São Paulo já está se preparando caso essa variante venha a circular na cidade", reitera Edson.


Em março, no último estudo realizado, a Prefetura de São Paulo divulgou que 65% dos casos no município eram da variante P.1, inicialmente identificada na cidade de Manaus.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários