O ministro da Saúde Marcelo Queiroga
Walterson Rosa/MS
O ministro da Saúde Marcelo Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o Brasil deverá doar vacinas contra a Covid-19 para países pobres. A informação foi dada à CNN Brasil  após a última reunião com a Cúpula do G20.

“O Brasil certamente assumirá a sua posição de protagonista de um líder global e participará desta iniciativa para reforçar o acesso às vacinas no mundo”, afirmou.

O ministro afirmou que a campanha de imunização em 2022 já está planejada, e que pessoas acima de 12 anos serão contempladas com a vacina. O excedente será destinado a ampliação do acesso às doses.

“A ampliação do acesso às vacinas aos países mais pobres é um dos objetivos do G20 para que até meados de 2022 70% da população mundial esteja vacinada com a primeira dose."

Leia Também

“Os líderes se comprometeram com o fortalecimento dos sistemas de saúde de uma maneira geral, não só para por fim a esta pandemia, mas para enfrentar outras emergências sanitárias como essa", complementou o ministro.

Apesar do discurso pró-ciência e vacinação, Queiroga ressaltou a importância de "preservar as liberdades individuais" durante o enfrentamento à pandemia. A bandeira é defendida por Bolsonaro, sobretudo ao rejeitar a obrigatoriedade da vacinação.

“O presidente Bolsonaro, desde o início, defendeu o enfrentamento ao problema sanitário, a questão da economia é fundamental — o binômio saúde e economia não pode ser dissociado –, e a defesa intransigente das liberdades. Nós precisamos ter um ambiente de mais tranquilidade para poder avançar.”

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários